Donos de casas de veraneio causaram déficit na vacinação contra Covid-19 em Itanhaém

Para conseguir atender o programa de imunização divulgado pelo Estado recentemente, dos idosos entre 66 e 60 anos, a cidade precisa receber mais doses

Comentar
Compartilhar
20 ABR 2021Por Da Reportagem11h15
Itanháem tem recebido menos doses de vacinas contra Covid-19 devido a veranistas e dados antigosItanháem tem recebido menos doses de vacinas contra Covid-19 devido a veranistas e dados antigosFoto: Divulgação / Prefeitura Municipal de Itanhaém

A Secretaria de Saúde informou nesta segunda-feira (19) que a cidade de Itanhaém tem recebido a quantidade de doses, desde o anúncio da primeira faixa etária, com um déficit de cerca de 30%.

As doses para cada grupo prioritário, foram enviadas pelo Ministério da Saúde com base na população estimada pelo IBGE, referentes à levantamento de 2012.

Além dessa questão, Itanhaém tem muitas residências de veraneio que atraíram várias pessoas que moram em outras cidades, para receber aqui a primeira e a segunda dose.

Segundo a Secretária de Saúde, Dra. Guacira Nóbrega Barbi, desde o início da campanha de vacinação contra a COVID, isso contribuiu para o aumento do déficit, “A cada faixa etária, temos uma média de comparecimento de 30 (trinta) por cento maior para cada faixa de idade”, ressalta.

O prefeito Tiago Cervantes lembra que essa é uma questão muito importante e que tem cobrado diariamente os Governos Estadual e Federal para que esse problema seja sanado, “Cada cidade tem seu déficit e temos cobrado. Ainda temos um longo caminho pela frente. Vamos precisar de reforço no envio da vacina”, afirmou.

Esta semana, a secretaria de saúde divulgou uma programação para a segunda dose nos dias 19, 20 e 21 de abril, para os idosos que receberam a primeira aplicação em 22, 23 e 24 de março respectivamente. Apesar do feriado, a vacinação será mantida normalmente, no Posto Volante de Vacinação, na Rua Aécio Menucci, 281, no centro.

“Nossa equipe está informando diariamente a todos os idosos como está funcionando nosso cronograma, principalmente porque dependemos do envio da vacina”, frisa Guacira. A secretária lembra ainda, que a gestão da remessa das doses da CoronaVac (Butantan) ou da AstraZeneca (Oxford), não é de responsabilidade do município.

Para conseguir atender o programa de imunização divulgado pelo Estado, para as faixas etárias 65 e 66 (21 de abril), 63 e 64 (29 de abril) e para os idosos com 60, 61 e 62 (6 de maio), a cidade precisa receber mais doses. A possibilidade em atender esse cronograma depende do envio do imunizante ao município.