X

Guarujá

Prefeitura de Guarujá usa peixes no combate a dengue; entenda

Locais com grande acúmulo de água são pontos escolhidos para o uso dos peixes, que se alimentam das larvas do mosquito da dengue

Da Reportagem

Publicado em 01/03/2024 às 20:33

Atualizado em 01/03/2024 às 21:09

Comentar:

Compartilhe:

A-

A+

Em geral, os principais pontos escolhidos para a colocação dessas espécies são piscinas abandonadas, obras paradas ou em andamento, além de poços de elevador / Divulgação/PMG

Siga as notícias do Diário do Litoral no Google Notícias

No combate a dengue, a Prefeitura de Guarujá possui uma estratégia diferente para combater a proliferação do mosquito. Os agentes de controle e combate às endemias da Secretaria Municipal de Saúde usam pequenos peixes, em locais com grande concentração de água parada. O objetivo é evitar que as larvas se desenvolvam e se transformem no mosquito Aedes aegypti.

Trata-se da espécie Poecilia Reticulata, popularmente conhecidos como ”barrigudinhos”. Por se alimentarem predominantemente por larvas do mosquito, esses peixinhos são escolhidos para essas ações por serem mais resistentes a variações de temperatura e à poluição orgânica da água. Com eles, as equipes de Vigilância em Saúde alcançam uma eficácia no trabalho.

Faça parte do grupo do Diário no WhatsApp e Telegram.
Mantenha-se bem informado.

Em geral, os principais pontos escolhidos para a colocação dessas espécies são piscinas abandonadas, obras paradas ou em andamento, além de poços de elevador. No momento, o Município monitora 87 desses locais. A iniciativa reforça todas as demais estratégias de combate ao mosquito.

Dentre as vantagens de se usar os “barriguidinhos” estão a dispensa do emprego de produtos químicos, além da facilidade em encontrá-los, é o que explica o supervisor geral da vigilância entomológica, Marcos Antônio Ramos. “É um controle biológico ambiental, pois os peixes são encontrados facilmente na natureza, em diversos córregos da Cidade. Além de eliminar a necessidade do uso de inseticidas”, pontuou.

Brasil ultrapassa meio milhão de casos prováveis de dengue

O seu tamanho pequeno favorece a sua movimentação em locais estreitos devido à vegetação ou ao acúmulo de lixo. Ao serem colocados nos reservatórios, os peixes se reproduzem rapidamente e vão sendo acompanhados pelos agentes de vigilância em saúde.

Apoie o Diário do Litoral
A sua ajuda é fundamental para nós do Diário do Litoral. Por meio do seu apoio conseguiremos elaborar mais reportagens investigativas e produzir matérias especiais mais aprofundadas.

O jornalismo independente e investigativo é o alicerce de uma sociedade mais justa. Nós do Diário do Litoral temos esse compromisso com você, leitor, mantendo nossas notícias e plataformas acessíveis a todos de forma gratuita. Acreditamos que todo cidadão tem o direito a informações verdadeiras para se manter atualizado no mundo em que vivemos.

Para o Diário do Litoral continuar esse trabalho vital, contamos com a generosidade daqueles que têm a capacidade de contribuir. Se você puder, ajude-nos com uma doação mensal ou única, a partir de apenas R$ 5. Leva menos de um minuto para você mostrar o seu apoio.

Obrigado por fazer parte do nosso compromisso com o jornalismo verdadeiro.

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

SAÍDA CONTURBADA

Neymar foi dispensado pessoalmente por técnico do PSG, afirma jornal

Treinador trabalhou com Neymar durante três anos, quando comandou o Barcelona; em julho de 2023 se encontraram no PSG

JACAREÍ

Com mais de R$ 1 milhão, motorista é detido na Dutra, em SP

Para a polícia, homem afirmou que o dinheiro era da venda de veículos; ele foi levado à PF

©2024 Diário do Litoral. Todos os Direitos Reservados.

Software

Newsletter