Prefeitura de Guarujá oficializa acordo com a Infraero para assumir o aeroporto

Uma das primeiras medidas da empresa será homologar e recapear a pista para operar jatos particulares e voos executivos

Comentar
Compartilhar
30 MAI 2020Por Jeferson Marques10h45
A oficialização foi feita neste sábado pelo prefeito Válter Suman (PSB)Foto: JEFERSON MARQUES/DIÁRIO DO LITORAL

A Prefeitura de Guarujá oficializou neste sábado (30) acordo com a Infraero para a gestão e operação do Aeródromo Civil Metropolitano. A Cidade, que recebeu a outorga de área na Base Aérea em abril de 2019, manteve o controle do equipamento, cuja gestão ficará a cargo da Infraero, que assume as operações por um ano. 

A oficialização foi feita pelo prefeito Válter Suman (PSB), em uma entrevista coletiva no Salão Diamantina do Casa Grande Hotel (Av. Miguel Stéfno, 1.001, Enseada). O projeto faz parte de uma iniciativa intitulada Pró-Guarujá: Retomada Econômica e Desenvolvimento, agenda que inclui o planejamento da Cidade para o momento pós-pandemia, considerando o início das atividades do Aeródromo Civil Municipal de Guarujá.

Uma das primeiras medidas da Infraero será homologar e recapear a pista, que possui 1.390 metros de extensão, para viabilizar a operação de jatos particulares e voos executivos. O prazo estimado é de seis meses. Depois, a Infraero apresentará projetos para que voos comerciais possam ser autorizados no equipamento, assim como construção de um terminal de passageiros e novos hangares.

A concorrência pública de número 05/2019, que determinava a concessão da construção, exploração e manutenção do Aeródromo Civil Metropolitano de Guarujá, na Base Aérea de Santos, no Distrito de Vicente de Carvalho, foi revogada - o anúncio foi publicado na sexta-feira (29) no Diário Oficial do Município e assinado por Rogério Rudge Lima Neto, Secretário municipal de desenvolvimento econômico e portuário.

Uma das três maiores operadoras aeroportuária do mundo, a Infraero é uma empresa pública nacional há 47 anos no mercado.

As tratativas entre Prefeitura de Guarujá e Infraero começaram no início deste ano, quando a empresa demonstrou interesse no projeto da cidade, chegando a fazer um contato formal, via Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Portuário (Sedep), mesmo com a concorrência pública ainda estando vigente.

Atualmente, a Infraero administra 55 aeroportos em todo o Brasil. São mais de 100 milhões de passageiros transportados ao ano, representando cerca de 60% do movimento aéreo no País.

"A Infraero tem know how e excelência no ramo aeroportuário e essa expertise será crucial para tirar o nosso aeródromo do papel com a rapidez necessária", destaca o prefeito Válter Suman, lembrando que o desenvolvimento da aviação regional é uma das bandeiras do Governo Federal atualmente, o que pode significar um incentivo a mais para o projeto de Guarujá.

Suman considera o aeródromo de Guarujá como um dos pilares de sustentação da retomada econômica da Cidade após a crise causada pelo novo coronavírus. "A indústria do Turismo foi duramente abalada em todo o mundo e será uma das últimas atividades a retomar. O propósito é acelerar ao máximo esse processo e ter o nosso aeródromo em funcionamento para impulsionar essa reabertura", disse.

Titular da Sedep, Rogério Rudge Lima Neto avalia como ideal o novo rumo no projeto do aeródromo de Guarujá. "No formato anterior, já havia o entrave da crise econômica nacional, o que já estava atrapalhando. Tudo, porém, acabou sendo abalroado pelas consequências da pandemia, que atingiu em cheio a iniciativa privada e, por consequência o setor público, também".