RENOVAÇÃO

Guarujá discute cessão de Escola desativada para implantar unidade de ensino integral

Prefeitura e Estado se reúnem nesta segunda-feira (20) para dar andamento às tratativas; expectativa é que espaço seja inaugurado em 2025

Da Reportagem

Publicado em 19/05/2024 às 16:15

Comentar:

Compartilhe:

Prefeitura de Guarujá e o Governo Estadual se reúnem para discutir a cessão de uso da Escola Estadual Lâmia Del Cistia / Divulgação/Prefeitura do Guarujá

Nesta segunda-feira (20), a Prefeitura de Guarujá e o Governo Estadual se reúnem para discutir a cessão de uso da Escola Estadual Lâmia Del Cistia, instalada no bairro Vila Áurea, em Vicente de Carvalho, no Guarujá.

A unidade foi desativada pelo Estado há quase dois anos e vem sendo alvo de depredações. O objetivo é reformar e equipar a estrutura durante o segundo semestre deste ano para, em fevereiro de 2025, inaugurá-la como o primeiro equipamento educacional de período integral.

A Secretaria Municipal de Educação (Seduc), responsável por formalizar o pedido, explica que a iniciativa inédita é um projeto piloto com duração inicial de três anos. A proposta é submeter a Escola Municipal Ivonete da Silva Câmara (Jardim Conceiçãozinha) a uma reforma estrutural completa e acomodar seus estudantes no espaço cedido, para adaptação da nova modalidade de ensino.

Intervenções e inauguração

Uma vez oficializada a cessão de uso temporária, a Prefeitura de Guarujá executará uma série de serviços para revitalizar a unidade e definir sua grade curricular. Todas as intervenções necessárias, como troca de telhados, substituição de portas e janelas, pintura e outras benfeitorias, têm prazo estimado de sete meses. A meta é que em fevereiro de 2025 a primeira escola municipal de período integral da Cidade seja inaugurada.

Ensino Fundamental 

A unidade atenderá o Ensino Fundamental e a previsão é que funcione das 7 às 17 horas, com cerca de cinco refeições, entre café da manhã, lanche, almoço, ceia e jantar. Na prática, o ensino regular, onde são ministradas disciplinas como Língua Portuguesa, Matemática, Geografia, História e Educação Física, deve acontecer no período matutino. 

Posteriormente, os estudantes seguirão em atividades complementares, que envolvem um leque de opções, a exemplo de aulas esportivas, oficinas artísticas e reforço escolar. O Governo Federal terá participação efetiva, apoiando com recursos e programas específicos.

Impacto na Comunidade

O prefeito de Guarujá, Válter Suman, avalia que a população só tem a ganhar com a medida. "Será um marco histórico para a nossa Ilha de Santo Amaro. Sem dúvidas, mais uma valiosa política pública, das tantas que desenvolvemos nos últimos sete anos. Vamos transformar o prédio escolar e oferecer um ambiente de aprendizagem mais completo e integrado, proporcionando aos estudantes e suas famílias uma formação com ainda mais qualidade", vislumbra.

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Diário Mais

Litoral de SP é um dos três melhores pontos de mergulho do Brasil; veja onde e como

Atração fica a 45 km de distância da praia da cidade

Esportes

Porto de Santos pode fechar patrocínio com o Alvinegro Praiano; entenda

Valor será aplicado nas categorias de base e na equipe profissional

©2024 Diário do Litoral. Todos os Direitos Reservados.

Software

Newsletter