ANAC deve autorizar curso da ETEC em Guarujá

Agência fará vistoria na próxima sexta-feira (4) em Guarujá e a homologação deverá ocorrer em seguida.

Comentar
Compartilhar
28 SET 2019Por Carlos Ratton10h24
Unidade deverá receber nova homologação, permitindo a retomada das aulas em 2020.Foto: NAIR BUENO/DIÁRIO DO LITORAL

Na próxima sexta-feira (4), a Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) fará vistoria na Escola Técnica Alberto Santos Dumont, em Guarujá.

Após essa vistoria - quarta etapa de habilitação - unidade deverá, finalmente, receber nova homologação do curso de Mecânica e Manutenção de Aeronaves, permitindo a retomada das aulas em 2020.

A informação é da deputada estadual Rosana Valle (PSB). "Com isso, os mais de 100 alunos que tiveram sua trajetória interrompida terão novamente a chance da formação profissional", afirmou ontem.

Segundo a deputada, o governador de São Paulo, João Doria, havia se comprometido a fazer as adaptações necessárias na ETEC para que a unidade voltasse a abrigar o curso, fundamental em função da iminente implantação do aeroporto de Guarujá, na Base Aérea de Santos; do Complexo Andaraguá, em Praia Grande (também aeroporto de cargas); e do Aeroporto de Itanhaém.

"A Escola Técnica (ETEC) Alberto Santos Dumont tem condições de abrigar o curso com algumas adaptações. E o governador João Doria foi sensível ao nosso pedido", disse a deputada após a audiência com o governador, no Palácio dos Bandeirantes, disse na última quinta-feira (26).

PARALELO

Em paralelo aos esforços da deputada, os vereadores Edilson Dias (PT), Pastor Sargento Marcos e Andressa Sales (PSB) estiveram recentemente em São Paulo (Capital), onde participaram de uma reunião no Centro Paula Souza - órgão responsável pela gestão das faculdades de Tecnologia (Fatecs) e escolas Técnicas (ETECs) no Estado de São Paulo para tentar garantir a retomada do curso.

Os parlamentares foram recebidos pela diretora-superintendente, Laura Laganá, e por técnicos do órgão. Durante o encontro, os parlamentares haviam pedido detalhes sobre quais medidas estavam sendo adotadas pelo Centro a fim de garantir a retomada do curso e, sobretudo, um prazo para o reinício das atividades.

EXIGÊNCIAS

A superintendente explicou que a ANAC passou a exigir, a partir deste ano, uma série de ajustes, de planejamento e de documentações, para homologar as atividades - o que é fundamental para certificação dos alunos.

No entanto, todas as medidas necessárias, segundo ela, já estavam sendo adotadas, dentro de um processo que envolvia cinco etapas.

Laura Laganá também fez questão de ressaltar que é de interesse do Centro Paula Souza a permanência do curso, tendo em vista a sua grande importância e tradição, e pediu apoio dos vereadores na condução das tratativas junto à ANAC. "A mobilização de todos, especialmente na esfera federal, agora é muito importante para que haja celeridade nesse processo", enfatizava.

Os vereadores, por sua vez, assumiram na ocasião o compromisso de acionar deputados e outras autoridades federais com que tenham vínculos partidários para reforçar o pleito e auxiliar no processo de retomada do curso.

O curso foi estabelecido no município de Guarujá em 1975, funcionando nas dependências da Escola Estadual Marechal-do-Ar Eduardo Gomes, localizada dentro da Base Aérea de Santos, vinculado à Secretaria de Estado da Educação.