“Vice-capitão”, David Luiz pede oração para ter Neymar contra Alemanha

O camisa 10 do Brasil sofreu uma pancada nas costas no jogo desta sexta-feira, em Fortaleza

Comentar
Compartilhar
04 JUL 201420h00

O zagueiro David Luiz é um dos candidatos a assumir a braçadeira de capitão do Brasil no confronto com a Alemanha, já que Thiago Silva está suspenso. Autor de um dos gols contra a Colômbia, o defensor espera contar com Neymar, que sofreu uma pancada nas costas no jogo desta sexta-feira, em Fortaleza.

“Estou preocupado com o Neymar. Ainda não sei se foi grave, que o Brasil inteiro ore por ele”, declarou o defensor. Atingido por uma joelhada desferida pelo colombiano Zuñiga, o atacante do Barcelona foi substituído por Henrique e, chorando, seguiu para o hospital.

Se Neymar preocupa, Thiago Silva, com dois cartões amarelos, já é desfalque certo. “Estou preparado, sou o vice-capitão. Esse grupo tem jogadores muitos humildes, então é muito fácil de lidar”, afirmou David Luiz, manifestando confiança nos possíveis companheiros de zaga.

“Fiquei put... com ele”, disse o jogador, brincando com o companheiro de zaga. “Não teremos nosso capitão, mas quem entrar, seja o Dante ou Henrique, vai dar conta do recado. São jogadores de alto nível e que se prepararam para essa competição”, disse David Luiz.

David Luiz é um dos candidatos a assumir a braçadeira de capitão contra a Alemanha (Foto: Vipcomm)

Ao final da partida, além de comemorar a classificação à semifinal da Copa do Mundo, ele consolou o colombiano James Rodríguez e chegou a trocar de camisa com o meia. Diplomático, o brasileiro elogiou a performance do time dirigido pelo argentino José Pekerman no torneio.

“Foi um grande jogo. A Colômbia fez um excelente Mundial. A equipe jogou um futebol bonito, alegre. Brigou até o final hoje e merece os parabéns. O nosso time também se entregou e fez um futebol bonito, que todo o mundo gosta. Jogamos com muita intensidade, sempre buscando o ataque", disse.

Autor de um belo gol de falta no segundo tempo, David Luiz atribuiu o lance aos seguidos treinos de bola parada no Chelsea. Animado, o jogador ainda projetou o confronto com a Alemanha, marcado para as 17 horas (de Brasília) de terça-feira, em Belo Horizonte.

“Vai ser mais um grande jogo, um clássico mundial. Espero que consigamos estar no nosso nível, porque vai ser um jogo muito difícil. Eles vêm muito bem. O time tem uma identidade definida há muitos anos e joga sempre da mesma forma, tomando gol ou não”, analisou.