Venda de camisas do Santos FC triplicam no comércio

A multiplicação dos gols dos “Meninos da Vila” tem sido um estímulo e tanto para o comércio nesta temporada

Comentar
Compartilhar
20 JAN 201312h10

Nem sete, nem nove, nem 11, o número da sorte do Santos Futebol Clube é o três. Além da vitória por três gols sobre o Santo André (2), no domingo, as vendas de artigos do time triplicaram nesta reta final do Campeonato Paulista.

A camisa oficial é o artigo favorito dos torcedores do Peixe, que a chamam de “manto sagrado”. “As vendas triplicaram e temos vendido bem há algumas semanas. Se o time está bem, a gente vende bem”, afirmou o vendedor de uma das franquias da rede que vende produtos oficiais do clube, Andrei de Oliveira Chavier.

Andrei, que trabalha na loja do Gonzaga, disse que vende uma média de 10 a 20 camisas oficiais por dia. “Recebemos a remessa e vende tudo em dois a três dias. A Umbro (fabricante) não está dando conta da demanda”, disse Andrei.

O vendedor disse ainda que a procura pela camisa oficial feminina também teve um aumento significativo nos últimos dias. Ontem à tarde, as últimas peças do estoque se esgotaram. A camisa oficial masculina custa R$ 179,90. Já o preço da camisa feminina é R$ 119,90. Mas, torcedores têm driblado os preços, para garantir o “manto da sorte” no enfrentamento final com o time do Santo André.

No Centro de Santos, a encarregada de outra loja da franquia, Ana Paula Silva Arcanjo, também comemora as vendas. “Estamos vendendo uma média de dez camisas oficiais por dia. Hoje mesmo já vendi dez”, disse Ana Paula por volta das 16h30.

A encarregada de vendas disse também que a camisa “Meninos da Vila”, lançada recentemente também tem procura. “Recebemos a camisa no sábado e já vendemos seis”. A camisa temática “Meninos da Vila” é mais barata do que a camisa oficial e custa R$ 49,90.

O bombeiro aposentado e fanático, Maciel Moraes Maia, de 53 anos, procurava um calção oficial na loja do Centro para se vestir a caráter no dia da grande final do Paulistão. Confiante Maciel chuta um placar de dois a zero. “Meu palpite é dois a zero no Santo André. Gols de Robinho e Neymar”.

Mas, tinha gente procurando até brinquedo. O comerciante Alexandre Fonseca comprou um boneco (goleiro) para dar de presente para a sobrinha Geovana, filha da funcionária pública Regiane Cristina Rocha, que o ajudou na escolha do brinquedo. “Ela é torcedora do Santos, mas não é por influência nossa não”, brincou Alexandre. De acordo com Regiane, Geovana tem três anos de idade. O boneco “engraçadinho” que dança custou R$ 69,90.

O palpite de Alexandre é que os meninos da Vila conquistem a taça do Paulistão marcando três gols, no estádio do Pacaembu, no próximo domingo. Em um camelô da Rua João Pessoa, a vendedora também comemorava a temporada de gols da peleja santista rumo à Taça do Paulistão. “Estamos vendendo uma média de 20 conjuntinhos (camiseta e shorts) para crianças e mais 20 camisetas para adultos por dia”. O conjunto infantil e a camisa de adulto custam R$ 20 cada.

“Estamos vendendo bem e esperamos vender bem mais na quinta e na sexta-feira, quando chegam mais camisas”, afirmou a vendedora Lindiane Silva dos Santos.