Vantagem derrete em 3 rodadas e Corinthians vê Palmeiras virar nova ameaça

Nas últimas três rodadas, o time alviverde conseguiu tirar oito pontos de diferença em relação ao líder. Ela caiu de 14 para seis

Comentar
Compartilhar
24 OUT 2017Por Folhapress14h30
Keno tem sido um dos destaques do Palmeiras nos últimos jogos com gols e assistênciasFoto: Cesar Greco/Agência Palmeiras

O sinal de alerta está mais aceso do que nunca no Corinthians. Após a quinta derrota em 11 jogos do returno, desta vez para o Botafogo no Engenhão, o líder do Campeonato Brasileiro viu sua vantagem em relação aos rivais derreter em apenas três rodadas -agora a diferença para Palmeiras e Santos é de seis pontos a oito rodadas do fim.

O adversário que mais conseguiu tirar a diferença foi o Palmeiras. Nas últimas três rodadas, o time alviverde conseguiu tirar oito pontos de diferença em relação ao líder (ela caiu de 14 para seis). Nesse período, depois da saída de Cuca, a equipe comandada por Alberto Valentim somou nove pontos - venceu Atlético-GO, Ponte Preta e Grêmio.

O Corinthians, por sua vez, manteve a instabilidade mostrada durante todo o segundo turno: em três partidas, o time de Carille somou um ponto: no empate sem gols com o Grêmio em Itaquera. Dois adversários derrotaram o líder: o Bahia, em Salvador, e o Botafogo, no Rio.

Já o Santos conseguiu diminuir a vantagem de dez para seis pontos após vencer o Atlético-GO e empatar com Vitória e Sport. Até mesmo o Grêmio conseguiu se aproximar do Corinthians. Ao fim da 27ª rodada, os gaúchos estavam a 12 pontos do primeiro colocado e hoje estão a nove.

Após a derrota no Engenhão, o técnico Fábio Carille admitiu que a pressão está maior por causa da sequência de resultados ruins. "Temos de trabalhar bastante, ir a campo. Claro que chega um momento que a pressão aumenta. Temos de ter maturidade para jogar com essa vantagem. O principal é ir a campo com confiança", ressaltou o comandante.

Carille ainda colocou o Palmeiras como rival direto do Corinthians nas próximas oito rodadas."Falei que as duas equipes eram Grêmio e Santos e era mais difícil para o Palmeiras. Três vitórias mudam tudo. Não coloquei fora, está na briga, os três paulistas e o Grêmio estão brigando. Para os outros um pouco mais difícil", afirmou.

O treinador também minimizou a queda da vantagem nos últimos três jogos. Segundo ele, o Corinthians já esteve com essa diferença sobre o segundo colocado. "[Os rivais] Estão chegando, mas não é a primeira vez que fica a seis pontos", disse.

Essa diferença, porém, era uma realidade ao fim da 15ª rodada. Naquela ocasião, o Corinthians somava 37 pontos, contra 31 do Grêmio. O Santos tinha 27, contra 23 do Palmeiras de Cuca.