Valdivia só fica no Palmeiras se aceitar reduzir o salário

O pai do meia, Luis Valdivia, deve chegar ao Brasil nos próximos dias para se reunir com o diretor executivo, Alexandre Mattos, e definir o futuro do jogador

Comentar
Compartilhar
17 FEV 201514h47

O meia Valdivia está livre para assinar um pré-contrato com qualquer clube a partir desta terça-feira, quando completam seis meses restantes de seu contrato com o Palmeiras. Para evitar surpresas, a diretoria alviverde quer agir rápido e definir a situação do jogador. Uma coisa certa é que, para ficar, o jogador terá que reduzir seu salário e aceitar o contrato de produtividade.

O pai do meia, Luis Valdivia, deve chegar ao Brasil nos próximos dias para se reunir com o diretor executivo, Alexandre Mattos, e definir o futuro do jogador. Os dois lados da negociação querem a renovação, entretanto, ainda não foi falado sobre valores, algo que pode atrapalhar ou até impedir o acerto. Tudo caminha para a permanência do jogador, que deve assinar um contrato válido entre seis meses e um ano.

No clube, poucos acreditam que o atleta aproveitará o fato de poder assinar um pré-contrato e sair de graça. Muitos, inclusive fazem comparação com o volante Wesley, que após uma longa negociação para renovar contrato, acabou acertando com o São Paulo, em um acordo onde nenhum dos lados confirmam o acerto para tentar despistar. O Flamengo sonha há anos com Valdivia. Não o procurou nos últimos meses, mas está monitorando a situação.

Para ficar, o jogador terá que reduzir seu salário e aceitar o contrato de produtividade (Foto: Leandro Martins/Futura Press/Estadão Conteúdo)

A ideia do Palmeiras é renovar o contrato do jogador por um tempo curto, pois, além da questão física, outro ponto para não criar um vínculo muito grande é a intenção do presidente Paulo Nobre em fazer negócio com o chileno. A esperança do dirigente é que nesta temporada apareça algum clube para levá-lo, algo que quase aconteceu no ano passado, quando Valdivia chegou a ir para os Emirados Árabes, posou com a camisa do Al Fujairah, mas a negociação fracassou.

O salário do Mago atualmente é de R$ 500 mil. O Palmeiras vai oferecer um valor fixo bem abaixo disso, tendo ganhos por produtividade. Atualmente, os direitos econômicos do jogador estão divididos sendo 54% do time alviverde, 36% do conselheiro do clube Osório Furlan e mais 10% que pertencem ao próprio jogador, representado por seu pai.

Valdivia está em fase final de recuperação de uma lesão na coxa esquerda e a expectativa do técnico Oswaldo de Oliveira é que ele tenha condições de jogo no domingo da semana que vem, contra o Capivariano, dia 28. Ele é esperado no campo nesta semana e a reapresentação do elenco, após dois dias de folga, acontece na tarde desta terça-feira, na Academia de Futebol.