Últimos campeões, Corinthians e Flu se enfrentam em situação ruim

As duas torcidas estão incomodadas, com protestos frequentes. “As equipes não estão fazendo o que se esperava delas, e é natural que entrem em campo pressionadas

Comentar
Compartilhar
10 NOV 201310h40

Alternando-se na conquista do Campeonato Brasileiro nos últimos três anos, Corinthians e Fluminense chegaram à reta final da edição de 2013 bem longe de onde gostariam de estar. Os últimos campeões vão se enfrentar às 19h30 (de Brasília) de domingo, em Araraquara, com o objetivo de escapar do rebaixamento.

Se o time alvinegro ainda alimenta um bastante improvável sonho de chegar à Copa Libertadores, a primeira meta é atingir uma pontuação que o livre do risco da degola. Hoje com 42 pontos, os comandados de Tite precisam de mais quatro para afastar a possibilidade mais assustadora.

A situação do Fluminense é bem mais delicada. A equipe ainda dirigida por Vanderlei Luxemburgo não venceu nenhuma de suas últimas oito partidas. Com 36 pontos, só não começou a 33ª rodada da competição na zona de rebaixamento por causa dos critérios de desempate.

As duas torcidas estão incomodadas, com protestos frequentes. “As equipes não estão fazendo o que se esperava delas, e é natural que entrem em campo pressionadas. Vai ganhar quem estiver mais equilibrado. Só com tranquilidade vamos construir um bom resultado”, afirmou o volante Edinho.

Renato Augusto é o homem mais adiantado do problemático ataque do Corinthians (Foto: Daniel Augusto Jr/Divulgação/Agência Corinthians)

Em busca dessa tranquilidade, Luxemburgo levou seu time ao hotel de que tanto gosta em Atibaia. Ele escondeu a escalação, que deverá ter mudanças em relação ao time que começou a derrota para o Flamengo. Felipe, de volta de suspensão, e o jovem lateral esquerdo Léo Pelé são as prováveis novidades.

No Corinthians, não há mistério. A equipe teve seu desempenho aprovado contra o Vitória – apesar de o resultado, pela 15ª vez no Brasileiro, ter sido um empate – e será mantida. O meia Renato Augusto segue improvisado como centroavante, com Alexandre Pato no banco.

“A gente quer tentar a Libertadores, mas é um passo de cada vez. Conseguindo uma vitória, a gente já consegue uma tranquilidade maior (em relação ao rebaixamento). Aí, a gente pensa no jogo seguinte. Se vier a Libertadores, ótimo. Não vindo, a gente termina de forma digna o campeonato”, disse Renato.