Sem tradição, Costa Rica vem a Santos para a sua quarta Copa do Mundo

A Vila Belmiro será o palco de treinos da delegação, que terá dois hotéis disponíveis para sua estadia na Cidade. Há expectativa da vinda de 3 a 5 mil turistas daquele país

Comentar
Compartilhar
13 JAN 201411h34

Sem tradição em Copas do Mundo — participou de outras três edições, 90, 2002 e 2006 —, a seleção da Costa Rica vem a Santos para a disputa do Mundial de 2014 após uma classificação tranquila nas Eliminatórias da Concacaf. Os costarriquenhos terminaram a competição em segundo lugar com 18 pontos, quatro atrás dos Estados Unidos, com 22.

Durante a jornada rumo a Copa, a Costa Rica conseguiu resultados expressivos contra Estados Unidos e México, seleções que tradicionalmente figuram no topo da tabela da América do Norte e Central. Contra os norte-americanos e mexicanos vitórias por 3 a 1 e 2 a 1.

A Vila Belmiro será o palco de treinos da delegação, que terá dois hotéis disponíveis para sua estadia na Cidade, o Mendes Plaza e o Panorama, para hospedagem de cerca de 170 pessoas, entre jogadores, comissão técnica e familiares. Há expectativa da vinda de 3 a 5 mil turistas daquele país.

A informação foi confirmada pelo prefeito Paulo Alexandre Barbosa (PSDB) e pelo presidente da Federação de Futebol da Costa Rica, Eduardo Li, em dezembro do ano passado, quando assinaram protocolo de intenções no Paço Municipal.

 Álvaro Saborío é considerado o maior jogador de todos os tempos da América Central (Foto: Divulgação)

“Foram 83 locais habilitados pela Fifa, e Santos é uma das únicas que receberá duas seleções. Não tenho dúvidas de que o santista vai acolher bem os milhares de turistas mexicanos e costarriquenhos. Será a oportunidade histórica de internacionalizar a cidade por meio do futebol, uma paixão mundial”, afirmou Paulo Alexandre Barbosa, na ocasião.

Eduardo Li disse que será “uma motivação grande para a equipe treinar em um estádio mítico onde jogou Pelé e Neymar” e destacou ainda a infraestrutura e segurança oferecidas.

Ídolos do passado

Comandada pelo técnico Jorge Luis Pinto Afanador, a Costa Rica tem em sua comissão técnica dois dos maiores ídolos do país no futebol. São eles:

Luiz Gabelo Conejo

Com passagem pelo futebol espanhol, o goleiro, que jogava pela Seleção Costarriquenha de Futebol desde 1988, foi um dos 22 convocados para o Mundial de 90 e foi o titular.

Na primeira fase, Conejo fechou o gol contra Escócia e Brasil, e se lesionou na partida contra a Suécia.

A Isla del Coco foi cenário do filme ‘Jurassic Park’ (Foto: Divulgação)

No final da década de 90, a revista France Football elegeu Conejo um dos 100 melhores jogadores da história das Copas do Mundo.

Paulo Cesar Wanchope

Wanchope é o segundo jogador com mais gols marcados na história da Seleção da Costa Rica, com 45 gols em 73 jogos, incluindo os dois gols marcados durante o jogo inaugural da Copa do Mundo de 2006, na Alemanha.

No Mundial de 2002, disputado no Japão, o atacante foi o autor de um dos da derrota de sua seleção por 5 a 2 para o Brasil, ainda na fase de grupos.
O atacante atuou no futebol inglês pelo Derby County, West Ham e Manchester City. Além de passagens pouco marcantes por Málaga, da Espanha, Al-Gharrafa, do Catar e Rosario Central, da Argentina.

Fatos históricos

A Costa Rica foi a primeira seleção centro-americana a vencer um jogo de Copa do Mundo. O volante Juan Cayasso marcou o gol que deu a vitória contra a Escócia, na Copa do Mundo de 1990, disputada na Itália.

Ainda nesta competição, os costarriquenhos obtiveram sua melhor colocação em copas, alcançando as oitavas de final.

O país também é o único a passar de fase em Copa do Mundo.

Sobre o país

Divisa com Panamá, ao Sul, e Nicarágua ao Norte, a Costa Rica é um destino sem endereços. Nada de nomes nas ruas ou número nas casas. Para se chegar a algum lugar no país, com aproximadamente 5 milhões de habitantes, é comum receber referências como ‘Ao lado Mercado Fulano, 175 metros ao Sul, 200 ao Norte, a casa pintada de verde’.

A população conta com um sério senso de preservação ambiental. Com um território de apenas 51.100 km², a Costa Rica guarda 5% da biodiversidade do planeta, tem 26% de sua área em zonas preservadas e oferece aos visitantes parques, vulcões e praias com paisagens variadas e belezas paradisíacas.

A Isla del Coco, por exemplo, parte do território do país, a maior ilha desabitada do mundo, foi cenário do filme ‘Jurassic Park’.

O Catolicismo é a religião oficial do país e também a praticada por quase 80% de seus habitantes. Em todas as cidades multiplicam-se as igrejas ladeadas por grandes praças, similar ao encontrado nas cidades do interior do Brasil.

A moeda da Costa Rica é o colón. 500 colones equivalem a 1 dólar. Os preços dos produtos nos supermercados ou lojas, quando realizado o câmbio para o real, assemelham-se aos encontrados em cidades como São Paulo ou Rio de Janeiro.

O país é bastante tranquilo e conta com uma Polícia Turística destacada apenas para cuidar dos visitantes. É recomendado, porém, evitar locais pouco movimentados e escuros ou transitar sozinho a noite nas zonas centrais da capital San José.

É obrigatório tomar vacina contra febre amarela no mínimo 10 dias antes da chegada ao país. O viajante deve atentar para a retirada do certificado internacional no ato da vacinação já que este será exigido no desembarque.

San José

San José é a capital e a maior cidade da República da Costa Rica. Foi fundada em 1738 pelos espanhóis, tornando-se pela primeira vez na nova capital costa-riquense em 1823, após a transferência de Cartago. É a segunda mais recente capital da América Latina, perdendo o título de mais nova para Brasília, em 1960.

Destaques da seleção

Atualmente, os principais jogadores que integram o elenco da Costa Rica jogam na Europa. Sendo dois deles na Inglaterra, um na Espanha e uma na Grécia. O atacante Bryan Ruiz, de 28 anos, joga no Fulham, da Inglaterra. Pela seleção da Costa Rica, ele foi convocado 33 vezes e marcou 9 gols. O meia Bryan Oviedo, de 23 anos, joga no Everton. Pela seleção são 26 jogos e 1 gol marcado. O goleiro Keylor Navas, de 26 anos, atua no Levante, da Espanha, e tem 50 jogos pela Costa Rica.

O meia-atacante Joel Campbell, de 21 anos, do Olympiakos é um homem de frente veloz, que joga tanto centralizado como aberto. Ele fez sua estreia pela seleção da Costa Rica na Copa de Ouro de 2011 e já marcou oito gols em 28 jogos.

Campbell teve um papel crucial durante a campanha classificatória para a Copa do Mundo do ano que vem e marcou três gols, incluindo um na vitória essencial sobre os Estados Unidos.

Ídolo atual

Álvaro Saborío, de 31 anos, joga atualmente no Real Salt Lake dos Estados Unidos. É considerado o maior jogador de todos os tempos da América Central.

Ele também é um jogador importante para a Costa Rica em vários aspectos. O atacante representou a equipe sub-23 nas Olimpíadas de 2004. Ele foi titular nos três dos quatro jogos da equipe na competição e marcou um gol, contra Portugal.

Saborío atualmente tem 54 convocações pela Costa Rica e marcou 23 gols. Ele participou da Copa do Mundo de 2006.