X
Esportes

Sem propostas, São Paulo diz que vender Pratto não está nos planos

O clube paulista sustenta que não foi procurado em nenhum momento por representantes do River e que Pratto faz parte do planejamento para a temporada

Para concretizar a chegada de Pratto ao Morumbi em fevereiro de 2017, o tricolor pagou 6 milhões de euros por 50% dos direitos / Rubens Chiri/saopaulofc.net

Há uma semana, a imprensa argentina passou a noticiar a intenção do River Plate de enviar uma proposta de US$ 11 milhões -com possibilidade de bônus de R$ 2 milhões por metas- para contratar Lucas Pratto.

Essa oferta, porém, nunca chegou às mãos do centroavante ou do São Paulo. O tricolor, aliás, segue irredutível: vender o camisa 9 não está nos planos para 2018.

O clube paulista sustenta que não foi procurado em nenhum momento por representantes do River e que Pratto faz parte do planejamento para a temporada que começa nesta quarta-feira (3) com a reapresentação do elenco no CT da Barra Funda. Para reforçar tal versão, os são-paulinos lembram que em breve pagarão 1,5 milhão de euros ao Atlético-MG por mais 15% dos direitos econômicos do argentino.

Para concretizar a chegada de Pratto ao Morumbi em fevereiro de 2017, o tricolor pagou 6 milhões de euros por 50% dos direitos. Ficou acertado ainda que a cada ano, de acordo com metas alcançadas, o tricolor teria de comprar mais 15%, até ficar com 95% do jogador. Assim, o Atlético venderia os 45% que ainda restavam, enquanto os Supermercados BH seguiriam com 5%.

Procurado pela reportagem, o estafe do artilheiro também negou que o River ou qualquer outra equipe tenha enviado uma proposta oficial. O único contato admitido até o momento foi feito pelo Cruzeiro, de forma direta ao jogador e rejeitado imediatamente pelo São Paulo.

Pratto tem 29 anos e foi tratado diversas vezes como exemplo a ser seguido no São Paulo. Os elogios partiam da comissão técnica, da diretoria e do presidente Carlos Augusto de Barros e Silva. A análise levava em conta o bom começo técnico do centroavante, mas acima de tudo o profissionalismo e a dedicação. Entre os jogadores, também é elogiado e segue influente mesmo após ceder a faixa de capitão a Hernanes.

Na primeira temporada pelo tricolor, fez 48 partidas, 14 gols e deu seis assistências. O rendimento caiu no segundo semestre, mas ainda assim Pratto participou de 12 dos 48 gols da equipe no Campeonato Brasileiro, com sete tentos e cinco assistências. Além disso, terminou a Série A no sacrifício devido a lesão muscular e precisou usar alguns dias das férias para terminar a recuperação.

Deixe a sua opinião

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Saúde

Anvisa aguarda dados da Pfizer sobre variante delta para decidir sobre vacina para crianças

Ministério da Saúde prevê, no plano de vacinação do próximo ano, imunizar 70 milhões de crianças, o que depende de aprovação da agência

Saúde

Cubatão reduz para 4 meses o intervalo da dose adicional da vacina

A nova orientação vale para todas as pessoas a partir de 18 anos que tomaram as duas doses há pelo menos 120 dias

©2021 Diário do Litoral. Todos os Direitos Reservados.

Software