SEDUC

Sem muito brilho, Peixe bate o São Bernardo fora de casa

A equipe criou chances e não marcou. Mas David Braz foi mais eficiente do que os atacantes na etapa final e garantiu os três pontos

Comentar
Compartilhar
14 FEV 201519h17

O Santos conquistou mais três pontos importantes para sua caminhada nesta primeira fase do Campeonato Paulista. Mesmo com pouco brilho e apenas com um gol do zagueiro David Braz, após cobrança de escanteio, no segundo tempo, o Peixe superou o São Bernardo, no estádio 1º de Maio e segue na liderança isolada do Grupo D com 11 pontos. Enquanto isso, o São Bernardo segue no meio do bolo no Grupo A, com 7 pontos, cada vez mais distante do líder São Paulo.

A vitória alivia um pouco a situação de Enderson Moreira, mas o futebol pouco produtivo mantém a ‘pulga atrás do orelha’ na torcida e na diretoria santista. Na próxima rodada, o São Bernardo visita a Ponte Preta no estádio Moises Lucarelli, em Campinas, às 18h30. Já o Santos faz o clássico contra a Portuguesa, também no domingo, mas às 16 horas. A princípio, o jogo estava marcado para o Canindé, porém, a Lusa transferiu a partida para o estádio do Pacaembu.

O Santos segue na liderança do grupo D (Foto: Divulgação/São Bernardo)

Duro

Apesar do mandante ser o São Bernardo, o Santos chegou para a partida com a responsabilidade de tomar as iniciativas e se impor na casa do modesto time do ABC Paulista. Porém, o jogo começou bastante equilibrado e com mais disposição do que eficiência. A primeira chegada com perigo de gol foi do time mandante. Lucio Flavio arriscou chute de longe e obrigou Vanderlei a trabalhar. O Santos só conseguiu responder com Ricardo Oliveira, que se antecipou ao goleiro após cobrança de escanteio e por pouco não abriu o placar.

O jogo era aberto, com as duas equipes intercalando com jogadas de perigo, mas pecando nas conclusões. Cañete, ex-meia do São Paulo, era quem comandava as ações do São Bernardo e encontrava até certa liberdade para isso. Leandrinho , escolhido por Enderson Moreira para substituir Alison, contundido, deixava claro seu desentrosamento com Renato, no meio. Aos 28, de novo com Lucio Flavio, o São Bernardo assustou. Após bela trama pela esquerda, o camisa 9 do Tigre pulou mais alto que a zaga alvinegra e testou para o chão, no canto esquerdo de Vanderlei. A bola raspou a trave e saiu pela linha de fundo.

A resposta do Peixe veio aos 38. Geuvânio aproveitou saída de bola errado da zaga do São Bernardo, arrancou para o contra-ataque e tocou para Ricardo Oliveira. O camisa 9 recebeu de frente para o gol e serviu Robinho. Cara a cara, o camisa 7 finalizou de forma bisonha e perdeu uma chance incrível de gol. Assim, com muitos erros de passes e pouco empolgante, o árbitro do jogo encerrou a primeira etapa sem sequer acrescentar nada.

A segunda etapa começou com o Santos apertando a marcação no campo de defesa do São Bernardo em uma tentativa de forçar o erro do adversário. O time da casa encontrou dificuldades para chegar no gol santista e se viu encurralado. E a pressão do alvinegro praiano, que não era tanto em relação a chutes a gol, surtiu efeito aos 9 minutos. Após três lances seguidos pela esquerda, uma jogada ensaiada de escanteio, o Peixe abriu o placar com David Braz. Lucas Lima bateu o tiro de canto para trás, Chiquinho cruzou e o zagueiro entrou, em condição legal, para cabecear e abrir o placar.

No lance seguinte, Ricardo Oliveira chegou a balançar as redes depois de receber boa bola de Leandrinho, mas o gol foi corretamente anulado, pois o centroavante estava em posição irregular. Precisando reagir, o São Bernardo fez duas substituições: Vagner e Jean Carlos entraram nas vagas de Daniel Pereira e Carlinhos, respectivamente. A atitude deixou o Tigre mais exposto. Por outro lado, Enderson apostou em Elano no lugar do jovem Leandrinho e Marquinhos Gabriel na vaga de Ricardo Oliveira.

Apesar das trocas, o jogo voltou a cair de produtividade com as duas equipes abusando dos passes errados. O São Bernardo chegava com poucos jogadores e era facilmente desarmado. Enquanto isso, o Santos esbarrava na tarde pouco inspirada de seus jogadores. Até o craque Robinho fez a torcida perder a paciência algumas vezes em função da quantidade abusiva de erros.

Já no fim do jogo, o confronto esquentou no estádio 1º de Maio. Primeiro, o São Bernardo quase empatou após cobrança de escanteio. Maikon testou firme e a bola raspou o travessão. Em seguida, Marquinhos Gabriel aprofundou pela esquerda e cruzou rasteiro, para trás. Geuvânio chegou de frente e pegou de primeira. A bola bateu na trave, correu em cima da linha e não entrou.

De repente, a partida ficou quente. E Jean Carlos testou o goleiro Vanderlei e chute forte cruzado, mas o camisa 1 espalmou para escanteio. Um minuto depois, Robinho alçou bola na área e encontrou Werley praticamente sozinho. O zagueiro, porém, perdeu o tempo de bola e desperdiçou uma chance incrível de matar o jogo. Mesmo assim, o São Bernardo não teve forças para reagir e a partida acabou com a vitória magra do Peixe.