Sem clube, Thiago Pereira admite estar preocupado com futuro

Medalhista de prata em Londres teme que a ausência de apoio de uma equipe prejudique sua preparação para o ciclo olímpico que será encerrado no Rio

Comentar
Compartilhar
11 MAR 201315h48

Sem clube desde dezembro, o nadador Thiago Pereira está preocupado com seu futuro. O medalhista de prata nos Jogos de Londres teme que a ausência de apoio de uma equipe prejudique sua preparação para o ciclo olímpico que será encerrado no Rio, sede da Olimpíada de 2016.

"Todo atleta de alto nível precisa de tranquilidade para treinar e competir. Uma situação como essa acaba interferindo. Há pouca movimentação no mercado e os nadadores estão preocupados", diz o nadador de 27 anos, que não renovou seu contrato com o Corinthians, em dezembro.

"Engana-se quem pensa que a Olimpíada de 2016 não começou. Um grande resultado não sai de um dia pro outro. É preciso se comprometer antes e o esporte brasileiro como um todo sofre com indefinições. A natação e a ginástica são exemplos", reforça Thiago Pereira, que manteve seus patrocinadores pessoais mesmo após deixar o Corinthians e o grupo de treinamento PRO 16, encabeçado por Cesar Cielo.

Thiago diz estar tendo dificuldade para acertar com um novo clube por causa da sua exigência de treinar em local próprio e escolher seu treinador (Foto: Thiago Pereira)

Thiago Pereira diz estar tendo dificuldade para acertar com um novo clube por causa da sua exigência de treinar em local próprio e escolher seu treinador, e não com profissionais que já integram os quadros dos clubes. "É absolutamente compreensível as exigências dos clubes, mas na natação o que vale é a confiança. Cada um se adapta com um treinador e isso é particular", explica.

O nadador quer retomar a parceria com Alberto Silva, o Albertinho, com quem trabalhou na preparação para Londres. "Ele me ajudou na prata olímpica e quero repetir a parceria em 2016. A adaptação seria lenta em outra instituição com filosofia diferente de trabalho. O tempo está correndo", afirma.

"Quem me acompanha sabe que estou entre os Top do medley há 10 anos e só em 2012 peguei medalha. Mas o resultado não foi só meu Na natação, o pódio é de todos que me cercam, como comissão técnica, entidades e patrocinador. Por isso que é preciso mais atenção", diz.

O principal objetivo do nadador neste ano é buscar uma medalha no Mundial de Esportes Aquáticos, que será disputado em Barcelona, em julho, na Espanha. Antes, ele deverá tentar uma vaga no Troféu Maria Lenk, no Rio, mesmo sem contar ainda com um clube para defender.