Secretaria confirma morte por atropelamento de ex-nadadora e medalhista no Pan

O motorista, não identificado, fugiu sem prestar socorro à vítima, que estava acompanhada de Paulo Soares, de 58 anos, que morreu no local

Comentar
Compartilhar
02 MAI 201519h18

A Secretaria Municipal de Saúde do Rio de Janeiro confirmou a morte, na tarde deste sábado, da ex-nadadora Sarah Corrêa, de 22 anos. Medalhista dos Jogos Pan-Americanos de Guadalajara, no México, em 2011, ela estava internada no hospital Municipal Miguel Couto, na Gávea, na zona sul do Rio, em estado gravíssimo após atropelamento por um carro na Estrada dos Bandeirantes, na zona oeste da cidade. O acidente ocorreu às 18 horas de sexta-feira.

O motorista, não identificado, fugiu sem prestar socorro à vítima, que estava acompanhada de Paulo Soares, de 58 anos, que morreu no local.

Sarah foi socorrida e levada ao hospital inconsciente. Sua mãe, Maria Fátima Alves Gonçalves, publicou em sua página no Facebook que a filha teria tido morte cerebral. A Secretaria Municipal de Saúde, por meio de sua assessoria de imprensa, não confirma a informação, diz apenas que o estado da atleta é "gravíssimo" e que "há suspeita de morte cerebral".

Sarah foi socorrida e levada ao hospital inconsciente (Foto: Reprodução/Facebook)

"Minha filha foi assassinada por mais um maluco bêbado do trânsito dessa cidade. Quero Justiça e não vou descansar enquanto não acabar com esse cara", escreveu a mãe de Sarah no Facebook.

A ex-nadadora ganhou medalha de prata no revezamento 4x200 metros livres nos Jogos Pan-Americanos de Guadalajara. Deixou a natação para trabalhar como modelo no ano passado.