São Paulo terá 11 semanas livres até o fim do Brasileiro

De acordo com o calendário da CBF (Confederação Brasileira de Futebol), estão previstas somente quatro rodadas de meio de semana até o fim do campeonato.

Comentar
Compartilhar
19 AGO 2018Por Folhapress07h21
Time treina após eliminação no meio de semana.Time treina após eliminação no meio de semana.Foto: Facebook/SPFC

Eliminado da Copa Sul-Americana na última quinta-feira (16), o São Paulo entra em campo neste domingo (19) contra a Chapecoense focado em seu único objetivo até o fim da temporada: a conquista do Campeonato Brasileiro.

Sem outros torneios para dividir o calendário a partir de agora, o técnico Diego Aguirre poderá utilizar algumas semanas cheias de trabalho para preparar melhor a equipe na tentativa de se manter na liderança da competição.

De acordo com o calendário da CBF (Confederação Brasileira de Futebol), estão previstas somente quatro rodadas de meio de semana até o fim do campeonato.

Diego Aguirre e o São Paulo terão onze semanas inteiras de treinos até a última rodada, com um intervalo sem jogos de meio de semana entre a 24ª e a 33ª rodadas.

O Flamengo, vice-líder, ainda está vivo na Copa do Brasil e na Copa Libertadores, apesar de que neste último perdeu por 2 a 0 para o Cruzeiro, no Maracanã, o jogo de ida das oitavas de final.

Se conseguir a classificação às quartas, o clube carioca não terá semanas livres em setembro, com um possível jogo pelo torneio sul-americano no dia 19. As semifinais da Copa do Brasil, que disputará contra o Corinthians, serão jogadas nos dias 12 e 26, além de uma rodada do Brasileiro que está programada para a semana do dia 5 desse mês.

Passado o duelo diante da Chapecoense, neste domingo, no Morumbi, o São Paulo terá somente mais um turno de Campeonato Brasileiro para enfrentar. Isto é, 19 jogos.

O Flamengo, supondo que avance até as decisões de todos os torneios que disputa, teria os mesmos 19 compromissos do Brasileiro, porém mais 11 partidas, somando 30 jogos até o fim do ano.

Quem vive situação semelhante ao São Paulo e pode atrapalhar as pretensões tricolores de conquistar o título é o Internacional, que também só tem o Brasileiro.

A equipe do Rio Grande do Sul tem 35 pontos na tabela, três a menos que o clube do Morumbi. Ambos se enfrentarão na 29ª rodada, no Beira-Rio, em Porto Alegre.

Diego Aguirre já experimentou com o São Paulo os aspectos positivos de semanas longas de trabalho com o elenco.

Durante a pausa para a Copa do Mundo, o treinador uruguaio teve 19 dias de intertemporada, com treinamentos e jogos-treino no CT da Barra Funda, em Cotia e no Morumbi para ajustar o time de olho nas atividades são-paulinas no segundo semestre.

Aguirre chegou ao clube em meio às fases finais do Campeonato Paulista e com jogos de mata-mata pela Copa Sul-Americana, sem muito tempo para conseguir colocar sua marca no time.

Antes de aproveitar o tempo para treinamentos, o comandante destacou o excesso de jogos seguidos e a falta de tempo para conseguir treinar.

"Parece que faz muito tempo que estamos no São Paulo, são tantos jogos. Pensar que sem o trabalho, sem as condições, o São Paulo estava em um lugar que não merecia. Os jogadores têm consciência disso. Foi trabalhar e dar confiança a todos", disse o técnico antes do confronto com o Vitória, último antes da Copa do Mundo.

Durante o Mundial da Rússia, o São Paulo contratou o atacante equatoriano Joao Rojas, que virou titular e peça importante na equipe assim que a temporada foi retomada. Rojas fez um gol e deu três assistências desde que fez sua estreia, contra o Flamengo, no Maracanã.

Após a pausa da Copa, o time venceu seis dos oito jogos que disputou e assumiu a liderança do Brasileiro, posição que o clube não alcançava desde 2015.

A última vez que o time terminou o primeiro turno como líder foi em 2007, e ficou com o título. Na atual temporada, inclusive, poderá superar a pontuação daquele campeonato na virada do turno.

Em 2007, a equipe tinha 39 pontos ao final da 19ª rodada. Caso vença a Chapecoense, o São Paulo de Aguirre vai a 41 pontos, pontuação igual à do Corinthians neste mesmo estágio em 2017, quando o rival sagrou-se campeão.

SÃO PAULO
Sidão; Bruno Peres, Arboleda, Anderson Martins e Reinaldo; Jucilei, Hudson e Nenê; Rojas, Everton e Diego Souza. T.: Diego Aguirre

CHAPECOENSE
Jandrei; Eduardo, Douglas, Rafael Thiere e Bruno Pacheco; Márcio Araújo, Amaral, Yann Rolim e Diego Torres; Leandro Pereira e Victor Andrade. T.: Guto Ferreira

Estádio: Morumbi, em São Paulo
Horário: 19h deste domingo
Juiz: Rafael Traci (PR)