Banner gripe

São Paulo joga no Morumbi para ir à final da Copa Sul-Americana

Time tricolor joga por 0 a 0 contra Católica para se classificar à final

Comentar
Compartilhar
28 NOV 201217h04

O primeiro finalista da Copa Sul-americana será conhecido na noite desta quarta-feira (28), no mais uma vez tomado Morumbi. Para avançar à decisão da competição diante dos mais de 60 mi torcedores esperados, o invicto São Paulo joga por empate sem gol com a Universidad Católica, a partir de 21h50.

Após o 1 a 1 no confronto de Santiago, o retrospecto como mandante até o momento passa confiança. Qualquer placar das três partidas que fez em casa no torneio seria suficiente para garantir a vaga. Além de vitórias sobre Bahia e Universidad de Chile, na segunda fase e nas quartas de final respectivamente, a equipe brasileira alcançou também justamente um 0 a 0, nas oitavas, contra a LDU de Loja.

Apesar de poder se classificar basicamente se não for vazado, o técnico Ney Franco promete ir para cima. Mesmo como visitante, na quinta-feira passada (22), o time só não venceu porque desperdiçou diversas chances e cometeu vacilo defensivo na metade do segundo tempo: o zagueiro Rhodolfo fez corte parcial na área e permitiu que Castillo igualasse o marcador.

São Paulo treina na véspera do segundo jogo da semi final da Copa Sul-Americana (Foto: Luis Pires - VIPVOMM)

"É uma vantagem mínima, (a classificação) está em aberto. Tivemos capacidade para fazer o gol fora de casa e esperamos ter a mesma competência em casa", disse o treinador, que preservou os principais jogadores no fim de semana, quando o São Paulo, já assegurado na próxima edição da Libertadores e cumprindo tabela no Campeonato Brasileiro, visitou a Ponte Preta e não tirou o zero do placar.

Sem nenhum desfalque entre os 25 inscritos na competição, o grupo, ao contrário da véspera das quartas de final, treinou cobranças de pênalti, situação a que será submetido se a Católica devolver 1 a 1 no tempo regulamentar. Assim como no ensaio de penalidades, a imprensa não teve acesso à primeira parte do trabalho de terça-feira.

Ainda assim, a formação treinada por Ney Franco não deverá ter surpresas. Titular no esvaziado compromisso em Campinas, o meia Paulo Henrique Ganso volta ao banco de reservas e provavelmente entrará em campo de novo depois do intervalo. De acordo com a comissão técnica, o planejamento é ter o ex-santista com ritmo de jogo ideal em uma eventual final, na próxima semana, quando teria pela frente o vencedor do duelo entre o colombiano Millionarios e o argentino Tigre.

O favoritismo são-paulino já assustou mais a Católica. Na fase anterior, os brasileiros passaram facilmente pela atual campeã La U, mas não repetiram a façanha na semana passada.

"No jogo de ida, poderíamos ter sido goleados e terminamos com a capacidade de poder ter ganhado. Foi essa a minha sensação e a dos jogadores. E a sensação que temos agora é de que contamos com ferramentas para chegar à final", avalia o técnico uruguaio Martín Lasarte.

"Eles vão tratar de matar o jogo em dez minutos e solucionar o assunto. Temos que ter a dureza mental de não ceder, de sermos capazes de superar a primeira meia hora", acrescentou o comandante rival, que não descarta deixar o clube ao final do ano. A preocupação atual, no entanto, é exclusivamente com a Sul-americana.

Colunas

Contraponto