São Paulo e Corinthians superam má fase e abrem hoje final do Paulistão

São Paulo e Corinthians fecharam treinos durante a semana e adotaram o mistério para não fornecer muitas informações para o adversário.

Comentar
Compartilhar
14 ABR 2019Por Estadão Conteúdo09h30
Hernanes está recuperado de contusão, mas Cuca ainda não definiu se ele sai jogando.Foto: Facebook/São Paulo FC Oficial

Temor por apedrejamento de ônibus, ameaça de não entrar em campo e até risco de W.O. Depois de uma semana em que as notícias extracampo repercutiram mais do que os acontecimentos nos treinos, chegou o momento de São Paulo e Corinthians trazerem de volta as atenções para o que vai ocorrer no gramado do Morumbi neste domingo, às 16 horas, no primeiro jogo da final do Campeonato Paulista. 

O clássico colocará frente a frente equipes que também foram chamando a atenção de seus torcedores aos poucos e que precisaram se reinventar para conseguir um lugar na decisão. O Corinthians evoluiu antes, mas viu o rival crescer no mata-mata, graças ao talento dos garotos. Isso tudo faz parte dos ingredientes de uma final entre os eternos rivais.

Depois de uma campanha ruim no Campeonato Brasileiro do ano passado, o presidente Andrés Sanchez bancou o retorno de Fábio Carille para o Corinthians e trouxe mais 11 reforços. O novo treinador foi fazendo testes ao longo do torneio e garantiu a classificação da primeira fase na liderança de sua chave com tranquilidade.

Na sequência, o time alvinegro oscilou com fracas atuações nas quartas de final e na semifinal. Contra Ferroviária e Santos precisou dos pênaltis para seguir adiante no Paulistão. Um dos atletas mais experientes do elenco, o lateral Fagner, presente nos títulos estaduais de 2017 e do ano passado, minimizou o desgaste emocional da equipe por causa dessas dificuldades recentes.

"Nesses momentos é preciso ter frieza e tranquilidade. O desgaste psicológico existe e é normal. Vamos tentar agora garantir o resultado mais cedo, tomar a decisão correta, para ficar mais tranquilos", disse.

Quem costuma transmitir frieza e tranquilidade ao elenco é Carille. Apesar de ser técnico de time profissional há apenas três anos, ele vem se consolidando como especialista em jogos importantes. Em 20 disputas de mata-mata, por exemplo, são 18 classificações. Nos clássicos o comandante também coleciona números positivos. São 15 vitórias, cinco empates e apenas quatro derrotas.

Contra o São Paulo, os números de Carille são também impressionantes. Ele só foi superado uma vez. São cinco triunfos e quatro empates quando enfrenta o adversário. Se mantiver a escrita ele entrará para a história como o técnico que levou o Corinthians ao tricampeonato consecutivo, feito que o clube não alcança há 80 anos."Ser campeão é importante para todo treinador O Carille tem a oportunidade de ser tricampeão seguido. Por ser treinador jovem, sabe do peso de deixar o nome na história do clube", comentou Fagner.

Do outro lado, o São Paulo começou o ano cheio de expectativa, com um elenco experiente de olho na Libertadores. Mas veio a eliminação vexatória para o Talleres. A diretoria tirou André Jardine do cargo, negociou Diego Souza e apostou na contratação do técnico Cuca. Para além disso, confiou em alguns garotos formados nas categorias de base. A fórmula acabou dando certo e levou o time para a final do Paulistão. 

"Para esse primeiro jogo, temos de dividir as finais em duas partes, e acho que não tem favorito. Temos a força do nosso torcedor, mas o Corinthians tem a experiência, é um time maduro e o atual bicampeão. Dependendo do que acontecer pode haver um favoritismo na segunda partida", disse o técnico Cuca.

Ele voltou ao São Paulo após anos longe do Morumbi e chegou em um momento decisivo. Experiente, o técnico que teve problemas cardíacos recentemente deixou o ambiente mais leve e passou confiança aos atletas. Isso contribuiu no bom ambiente. "O tempo vai passando e você vai ficando mais experiente. Lógico que sou bastante participativo e vibrante, mas estou no começo de trabalho e tenho de passar para esse time o direito de errar, para não causar neles uma trava. É questão de transmitir confiança", revelou.

Cuca sabe que seus comandados têm fome de vitória e querem fazer o São Paulo voltar a ser campeão, coisa que não acontece desde o título da Copa Sul-Americana, em 2012. "Temos time jovem e quanto menos pressão colocarmos nos meninos, melhor. Temos oportunidade de ser campeão e vamos em busca disso."

ESCALAÇÕES ESCONDIDAS - São Paulo e Corinthians fecharam treinos durante a semana e adotaram o mistério para não fornecer muitas informações para o adversário. As principais atividades antes do clássico evitaram os holofotes e os próprios técnicos não divulgaram a escalação de seus times.

No São Paulo, Cuca terá o retorno do meia Hernanes, mas não garantiu o jogador como titular. Igor Gomes vem atuando bem no meio de campo e deve ser mantido na equipe. "O Igor Gomes está sendo titular por mérito dele. O Hernanes está voltando, precisa recuperar a boa forma, e isso gera competitividade interna", comentou Cuca.

Do outro lado, Carille escondeu o time e deu poucas pistas da escalação do Corinthians. A tendência é que Jadson fique com a vaga de Sornoza no meio-campo e Ramiro entre no lugar de Pedrinho para dar mais força de marcação, principalmente por ser uma partida fora de casa. No duelo do Morumbi, apenas os torcedores do São Paulo poderão estar presentes no estádio. 

FICHA TÉCNICA:

SÃO PAULO X CORINTHIANS 

SÃO PAULO - Tiago Volpi; Hudson, Arboleda, Bruno Alves e Reinaldo; Luan, Liziero e Igor Gomes; Antony, Everton Felipe (Carneiro) e Everton.Técnico: Cuca.

CORINTHIANS - Cássio; Fagner, Manoel, Henrique e Danilo Avelar; Ralf, Junior Urso e Sornoza; Ramiro (Pedrinho), Gustagol e Clayson. Técnico: Fábio Carille.

ÁRBITRO - Luiz Flávio de Oliveira. 

HORÁRIO - 16 horas. 

LOCAL - Morumbi, em São Paulo.

Colunas

Contraponto