São Paulo domina o Santos na Vila e quebra jejum de 14 anos

Após sair na frente, o Peixe foi dominado e acabou derrotado, por 3 a 1, na Vila Belmiro. O último revés para o Tricolor, pelo Paulista, tinha sido em 2003

Comentar
Compartilhar
15 FEV 2017Por Diário do Litoral23h43
Luiz Araújo saiu do banco e marcou duas vezesFoto: Lucas Baptista/Futura Press

Após tomar quatro gols nas duas primeiras rodadas, o Santos voltou a mostrar fragilidade defensiva e acabou derrotado no clássico contra o São Paulo, por 3 a 1, nesta quarta-feira, na Vila Belmiro, em partida válida pela 3ª rodada do Paulistão 2017. O Peixe saiu na frente com o atacante Copete, mas sofreu a virada, com gols de Cueva (pênalti) e Luiz Araújo (dois).

O resultado põe fim à invencibilidade do Alvinegro Praiano no Estadual – agora, são duas vitórias e uma derrota no torneio – e a um longo tabu em seu estádio. Antes da partida desta quarta-feira, o Alvinegro Praiano não perdia na Vila Belmiro há seis anos e 45 jogos. O jejum para o Tricolor, pelo Paulistão, era ainda maior. A última derrota tinha sido no longínquo 2003, há 14 anos.

De quebra, o Santos também perdeu a liderança do Grupo D. Com três vitórias em três jogos – é o único invicto no torneio –, o Mirassol soma nove pontos, três a mais que o time da Baixada Santista, com seis. O São Paulo, por sua vez, mostrou grande evolução neste início de ano e assumiu a primeira posição do Grupo B, com seis pontos. O Linense, com três, é o segundo.

Na próxima rodada, o Peixe tem pela frente um duelo contra a Ferroviária. O jogo será realizado na Vila Belmiro, às 19h30, pela quarta rodada do Paulistão. Já a equipe tricolor recebe o Mirassol, invicta no torneio estadual, no mesmo dia e horário, no Morumbi.

O jogo

Mesmo com inflação no ingresso – o mais barato custava R$ 60 (inteira) –, o Peixe teve casa cheia na noite desta quarta-feira e contou com o apoio do torcedor para sair na frente do placar. Logo aos 10 minutos, aproveitando euforia das arquibancadas, Vitor Bueno entortou o lateral Buffarini na ponta esquerda e cruzou na medida para Copete marcar, de cabeça.

Após a abertura do placar, o time do técnico Dorival Júnior adotou postura defensiva e viu o São Paulo dominar a posse de bola. Os visitantes rodavam a bola, mas não conseguiam criar. Até que, aos 35 minutos, o lateral Zeca cometeu pênalti em cima de Gilberto. Na cobrança, o meia Cueva bateu com tranquilidade e provocou o torcedor, gerando revolta nos santistas.

Após a igualdade, o Santos voltou a avançar a sua linha defensiva e esteve perto do segundo gol em duas oportunidades. Na primeira, o meia Lucas Lima, que era dúvida para a partida, escapou pela ponta direita e chutou com perigo. Na segunda, Rodrigão e Thiago Maia apareceram livres na pequena área, mas bateram cabeça, perdendo grande chance.

Luiz Araújo resolve

Na segunda etapa, o São Paulo voltou ainda melhor. Ao contrário dos 45 minutos iniciais, o Tricolor passou a rodar a bola com mais eficiência e teve em Luiz Araújo, que entrou no lugar de Neílton, o seu principal destaque. Aos 11 minutos, o atacante disparou em velocidade, limpou o goleiro Vladimir e virou o jogo. Ele ainda apareceria, aos 27, para fazer o terceiro, para o delírio do técnico Rogério Ceni.

Completamente dominado, o Peixe não conseguiu reagir. Não tinha capacidade ofensiva e sofria com os contra-ataques do arquirrival. A derrota só não virou goleada, porque, aos 39 minutos, Gilberto exagerou no preciosismo e perdeu chance incrível na cara do gol.