Santos tenta permuta com SPU para aquisição de terreno para arena

Sem contar com apoio da Briosa, o Peixe aposta em parceria com o Portuários e tenta troca de terrenos com a União para construir seu novo estádio

Comentar
Compartilhar
16 FEV 2017Por Diário do Litoral17h29
O novo projeto do Peixe prevê a construção do estádio em parte do clube PortuáriosFoto: Reprodução/Google Maps

Mesmo sem contar com a parceria da Portuguesa Santista, que deve fechar acordo com o Grupo Mendes, o Santos ainda sonha com a construção de uma nova arena multiuso. Nesta quinta-feira, o presidente do clube, Modesto Roma Júnior, esteve na sede da Secretaria do Patrimônio da União, em Brasília, para buscar alternativas para a construção do novo estádio.

O novo projeto do Peixe prevê a construção do estádio em parte do clube Portuários, parceiro no negócio, e na área da União que está nos arredores. Para que o projeto saia do papel, o Santos teria que adquirir este terreno secundário, de cerca de 67 mil metros quadrados. Foi oferecida, então, uma “permuta” pela área da SPU em troca de outra área, no Guarujá.

Neste novo local, que fica próximo ao Condomínio Jardim Acapulco, o Governo Federal poderia construir 2400 moradias pelo programa Minha Casa Minha Vida. Conforme apurado pelo Diário do Litoral, o terreno oferecido na permuta seria adquirido por investidores dos Estados Unidos, que também auxiliam o Alvinegro Praiano na construção da sua nova casa.

“A conversa foi muito interessante. A Secretaria de Patrimônio da União sempre mostra interesse na aquisição de terrenos que podem servir de forma social, que auxiliem aos moradores da região. O projeto geraria novos empregos, além de abrir a possibilidade de mais unidades do Minha Casa Minha Vida. Estamos confiantes”, disse Modesto ao Diário do Litoral.

O presidente Modesto Roma Júnior já está embarcando de volta à Baixada Santista, mas deve retornar à Brasília nos próximos meses para dar continuidade às tratativas. O próximo passo será levar o projeto para apreciação do Ministério das Cidades, em agenda que está sendo solicitado pelo deputado federal Marcelo Squassoni (PRB), parceiro do Peixe nas tratativas.

Modesto Roma Júnior esteve na sede da Secretaria do Patrimônio da União, em Brasília (Foto: Divulgação)

Nova era?

O novo projeto colocado em pauta, em parceria com o Portuários, prevê um estádio moderno, com capacidade para 30 mil pessoas, 62 camarotes, além de áreas sociais e de lazer (quadras e piscinas) para associados do Santos e do Portuários, em espaços distintos para os clubes. Ao todo, o complexo está projetado para ocupar área de 67 mil metros quadrados.

“Vamos construir um espaço dos mais modernos, com ampla capacidade para shows de grande vulto e estrutura de lazer nova e completa para os usuários, com lounges e restaurantes. Tudo isso sem abdicar da Vila Belmiro, que seria adaptada para também atender os associados com ampla área social”, completou o mandatário santista.