X
Esportes

Santos quer R$ 36 milhões para liberar o lateral Zeca

É um desconto de R$ 14 milhões em relação ao valor da multa contratual, que vale até o fim de 2020

Zeca tenta a liberação na Justiça alegando que o Santos deixou de pagar FGTS entre 2014 e 2015 / Divulgação/Santos FC

Nesta quinta (21),  Zeca completa cinco meses sem disputar uma partida de futebol. A última vez que entrou em campo foi em 21 de outubro do ano passado, quando o Santos enfrentou o Atlético-GO, pelo Campeonato Brasileiro. E segundo o clube paulista, o jogador não jogará tão cedo a não ser que se reapresente na Vila Belmiro ou algum rival aceite pagar R$ 36 milhões para comprá-lo.

"É muito simples. No mercado atual, o Zeca vale 9 milhões de euros [R$ 36 milhões]", disse o presidente do Santos José Carlos Peres, colocando preço para liberar o atleta.

É um desconto de R$ 14 milhões em relação ao valor da multa contratual, que vale até o fim de 2020. Zeca tenta a liberação na Justiça alegando que o Santos deixou de pagar FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço) entre 2014 e 2015. O Santos afirma ter quitado o que devia e pede a reapresentação do jogador, o que o estafe dele descarta. Enquanto o caso corre na Justiça, Zeca obteve liberação para poder trabalhar, mas sem entrar no mérito original do caso até que este seja julgado. O Flamengo já havia se interessado, mas ficou receoso de o jogador não ter sucesso na ação e o clube se tornar solidário na obrigação de pagar a multa ao Santos.

O Corinthians acreditava ter feito um acerto para contratá-lo e insinuou a aquisição do reforço nas redes sociais, com brincadeiras que o jogador estaria subindo a Serra do Mar para se apresentar no Parque São Jorge. Mais uma vez houve desentendimento a respeito de quem arcaria com a multa em caso de derrota no processo. O presidente corintiano Andrés Sanchez acreditou estar acordado que seria a OTB, empresa que agencia Zeca, seria a responsável. Mas os executivos da companhia não viram da mesma forma.
O Corinthians tentou oferecer Lucca e Marquinhos Gabriel em troca do lateral. Peres não aceitou fazer negócio.

"Tentei intermediar uma negociação com o Santos, mas o clube não quis conversar", disse o empresário Fernando César.

Ele afirma que o Santos sequer fez uma contraproposta para abrir negociação.

Os cinco meses de inatividade de Zeca são fruto de uma aposta de que a Justiça lhe daria ganho de causa e uma questão política no Santos. As declarações do jogador e a entrevista coletiva que deu para explicar a saída do clube e a ação judicial não foram bem vistas pela diretoria, que agrada a torcida ao jogar duro com o atleta que tentou ir para o Corinthians.

Sem poder atuar profissionalmente, o lateral campeão olímpico com a seleção brasileira nos Jogos de 2016, no Rio, se limita a manter a forma física em São Paulo.

Deixe a sua opinião

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Praia Grande

Golfinho é encontrado morto na orla de Praia Grande

Mamífero foi encontrado em avançado estado de decomposição por um pescador, que acionou as autoridades

Polícia

Câmera registra 1º caso de PMs de SP matando suspeito desarmado

Existem ainda outros dois casos semelhantes em andamento sendo analisados, mas ainda sem conclusão

©2021 Diário do Litoral. Todos os Direitos Reservados.

Software