Santos projeta compra de Dodô para o fim do ano

Caso assinasse agora com o jogador, além dos R$ 6 milhões, o clube precisaria gastar com o pagamento de luvas e reajuste contratual devido ao vínculo mais longo

Comentar
Compartilhar
19 ABR 2018Por Folhapress10h50
Desde que chegou, Dodô fez nove partidas, oito delas como titularDesde que chegou, Dodô fez nove partidas, oito delas como titularFoto: Ivan Storti/Santos FC

Após assegurar a permanência do atacante Eduardo Sasha, a diretoria do Santos tem como alvo definido a manutenção do lateral esquerdo Dodô, emprestado pela Sampdoria até dezembro deste ano.

Diferente da situação de Sasha, no entanto, que já está próximo de ter o novo contrato oficializado pelo clube em troca conjunta envolvendo o lateral esquerdo Zeca, o clube elabora uma estratégia para poupar os seus cofres. A reportagem apurou que o valor pedido pelo clube italiano é de 1,5 milhão de euros (cerca de R$ 6 milhões).

O Santos quer investir, mas só no fim do ano. Caso assinasse agora com o jogador, além dos R$ 6 milhões, o clube precisaria gastar com o pagamento de luvas e reajuste contratual devido ao vínculo mais longo. A ideia de atrasar a negociação, então, é economizar.

Dodô é considerado internamente como o novo dono da lateral esquerda no clube. A rápida adaptação do jogador fez o clube esquecer, inclusive, a possibilidade de um acordo com Zeca para que o jogador, antigo titular da posição, retornasse à Vila Belmiro. A diretoria santista vê Dodô como jogador completo, com qualidade na defesa e no ataque .

Defensivamente, foi o jogador do Santos, entre zagueiros e laterais, com melhor média de desarmes por partida, 2,2 por jogo. O líder no quesito foi o volante Alison, com 3,9. Os números são do Footstats com relação ao Campeonato Paulista.

Ao lado de Daniel Guedes, o jogador também acentuou a média de cruzamentos da equipe, uma das jogadas mais utilizadas pelo técnico Jair Ventura e que tem dado resultados, principalmente, com o atacante Eduardo Sasha. Na Libertadores, os laterais são os que mais arriscam cruzamentos na equipe, ao lado do meia Jean Mota.

Desde o afastamento de Zeca, em outubro, o Santos passou por dificuldades para encontrar um substituto à altura do jogador, campeão olímpico com a seleção brasileira, em 2014, e alvo de especulações do futebol europeu.

Só Jair Ventura testou três opções até chegar em Dodô. Romário, contratado pela gestão anterior, encabeçada pelo presidente Modesto Roma Júnior, foi o primeiro, mas não agradou. O jogador foi devolvido após duas partidas em empréstimo gratuito ao Ceará, clube em que se destacou no último ano.

Além dele, o treinador ainda deu oportunidades a Caju e Jean Mota na posição. Revelado pelo Santos, Caju teve atuações apagadas e deverá ser emprestado, enquanto Mota oscilou, mas foi quem melhor respondeu, dando assistências para gols.

Desde que chegou, Dodô fez nove partidas, oito delas como titular. O jogador também tem ganhado espaço com a torcida devido a sua constante aparição em redes sociais. A Sampdoria não cobrou pelo empréstimo, mas o Santos arca com 100% do ordenado do atleta. O jogador recebia 100 mil euros (cerca de R$ 400 mil) mensais no clube italiano, mas abriu mão de boa parte de seu salário para retornar ao Brasil.

Antes de jogar na Europa, o jogador acumulou convocações para as seleções de base. Revelado pelo Corinthians, se destacou no Bahia por empréstimo. De lá, o lateral foi vendido para a Roma, da Itália, e também teve passagem pela Inter de Milão, antes de defender a Sampdoria. O atleta sofreu com lesões e, por isso, não emplacou mais no futebol europeu.