Santos encaminha contratação de Levir Culpi, mas desfecho deve sair nesta terça

O treinador aceitou os termos exigidos pela cúpula alvinegra, mas ainda aguarda uma posição final do seu advogado para assinar a minuta contratual

Comentar
Compartilhar
06 JUN 2017Por Diário do Litoral00h05
A tendência é que o acordo entre Levir e Santos seja sacramentado nesta terça-feira (6)Foto: Divulgação/CAM

O Santos deixou bem encaminhada a contratação do técnico Levir Culpi. Após uma longa reunião em São Paulo, na última segunda-feira, as partes chegaram a um senso comum, mas a assinatura do contrato não foi realizada. O treinador aguarda uma posição final do seu empresário e também do advogado, que não estiveram presentes na reunião.

A tendência é que o acordo seja sacramentado na manhã desta terça-feira (6). Levir aceitou os salários oferecidos – cerca de R$ 250 mil –, mas ainda analisa o tempo de contrato. Por conta das eleições do clube no fim do ano, o presidente Modesto Roma Júnior ofereceu uma proposta até dezembro.

Este, porém, não deve ser um empecilho para o desfecho das negociações. O treinador mostrou-se empolgado em dirigir o clube e fez elogios ao elenco. Mesmo que acerte na próxima terça, ele não comandará a equipe contra o Botafogo, na quarta. O auxiliar-técnico Elano será o comandante.

Levir é a principal opção da diretoria. A decisão aconteceu ainda no domingo, logo após a saída de Dorival Júnior. A diretoria entende que o técnico de 56 anos tem a experiência necessária para retomar a confiança do time e fazer mudanças pontuais para que o Peixe reencontre o bom futebol.

A curto prazo, a principal missão do novo treinador é recuperar o time no Brasileirão. Nos quatro primeiros jogos, foram três derrotas e uma derrota. O início ruim deixou o clube na 16ª colocação. Além disso, ele terá pela frente as oitavas de final da Libertadores e as quartas da Copa do Brasil.

Do atual elenco, apenas um jogador já trabalhou com Levir. Trata-se de Leandro Donizete, que era homem de confiança do treinador no Atlético-MG, em 2015. No Peixe, porém, Donizete, mesmo tendo um dos maiores salários do grupo, ainda não deslanchou e vem sendo opção entre os reservas.