Santos e Palmeiras definem na Vila quem será o melhor da primeira fase

Às 16 horas deste domingo, os clubes se enfrentam cientes de que a vitória para qualquer dos lados garante a vantagem de atuar como mandante nas etapas seguintes do torneio

Comentar
Compartilhar
23 MAR 201411h21

O único clássico programado para a última rodada do Campeonato Paulista definirá quem avançará para as quartas de final com a melhor campanha da competição. Às 16 horas (de Brasília) deste domingo, na Vila Belmiro, Santos e Palmeiras se enfrentam cientes de que a vitória para qualquer dos lados garante a vantagem de atuar como mandante nas etapas seguintes do torneio.

Dois pontos à frente dos anfitriões, o Verdão fica com a liderança geral se empatar, mas a vitória o garante com a melhor campanha até as finais – os pontos seguem sendo somados nas próximas fases. Para passar o rival, o Peixe precisa vencer. Mas existe a chance de o primeiro colocado na classificação geral, na semifinal, encarar o São Paulo, enquanto o derrota na Vila enfrentaria, após as quartas, um time do interior.

O técnico do Santos, Oswaldo de Oliveira, garantiu, após o empate contra o Rio Claro, no último domingo, que o Santos não deixaria de vencer o Palmeiras para evitar um provável encontro com o São Paulo na semifinal. Durante a semana, no entanto, o treinador admitiu a necessidade de poupar jogadores por causa da proximidade entre o clássico e o jogo das quartas de final, contra a Ponte Preta, agendado para a próxima quarta-feira.

“Se a partida diante da Ponte fosse no outro domingo, não existiria dúvida nenhuma em escalar o time completo contra o Palmeiras, porque teríamos tempo de recuperação. Quero muito ganhar o clássico, mas tenho certeza de que os jogadores aceitarão e tentarão cumprir o que for determinado”, afirmou Oswaldo.

Geuvânio terá a missão de levar a bola ao melhor ataque do Paulista (Foto: Ivan Storti/Divulgação SFC)

Se vencer o clássico, o Santos ultrapassará o Palmeiras e entrará na segunda fase com a vantagem de disputar em casa as quartas de final e a semifinal. Como a soma de pontos continuará no mata-mata, o Peixe só dependeria de si para garantir e o segundo jogo da final como mandante: “bastaria” vencer no tempo normal os dois confrontos que antecedem a decisão.

“A Vila Belmiro é muito importante. Temos que valorizar se conseguirmos a vitória e, em consequência, o direito de jogar todos os jogos decisivos aqui. Mas esse próximo jogo não define nada. Não posso fazer projeções só para esse jogo, tenho que projetar o que já está decidido: se na quarta vamos seguir ou não adiante no campeonato”, disse o treinador santista.

Recuperados de lesão, o goleiro Aranha e o lateral esquerdo Mena voltam a ficar à disposição. Na mesma situação que o zagueiro Jubal e o lateral direito Cicinho, o chileno não tem presença confirmada porque tem dois cartões amarelos e, se receber o terceiro, não poderá enfrentar a Ponte. Suspensos contra o Rio Claro, o zagueiro Neto e o atacante Thiago Ribeiro devem retornar ao time.

Arouca, ausente dos últimos treinos por reclamar de dores no joelho esquerdo, não foi realcionado e deve ser substituído por Alison. Já Leandro Damião, que também era dúvida, foi confirmado entre os convocados de Oswaldo de Oliveira e deve ser escalado entre os titulares do Peixe.

O Palmeiras, por sua vez, só poupará um jogador. Wendel, único titular pendurado com dois cartões amarelos, não tem reserva e, por isso, fica fora para se garantir nas quartas de final.

Fernando Prass foi liberado para resolver problemas particulares e o Bruno deve ser o titular na meta alviverde. Outra baixa de última hora dos palmeirenses, é o volante França, que sentiu incômodo na panturrilha. Assim, Marcelo Oliveira deve ser deslocado para o meio-campo, com Tiago Alves na defesa e Bruninho na lateral-direita.

“Sabemos o que vale o clássico e que a fase aguda depois é de um jogo só que define nosso futuro. Mas, para nós, é muito claro que o nosso objetivo é manter a liderança e continuarmos dentro do nosso planejamento de ocuparmos esse primeiro lugar geral antes de focar jogo a jogo com decisões ao lado do nosso torcedor, o que é de suma importância para nós”, disse Gilson Kleina.

Como desfalques, o treinador não poderá contar com o volante Wesley, ainda em fase de recondicionamento físico após lesão na coxa direita, o lateral direito Bruno Oliveira, que sofre com desgaste, e o zagueiro Thiago Martins, que operou o joelho direito em janeiro e só poderá atuar no segundo semestre. Mas nada que faça o Verdão pensar em algo além da vitória no clássico.

“O Santos está jogando uma baita bola, como nós. O clássico vai mostrar tudo, como os times vão chegar à decisão, pelo clássico, teremos que mostrar até agora para o que viemos. Será um jogo difícil, complicado, e vamos buscar o resultado como sempre buscamos, jogando para frente. O Santos é favorito na Vila, faz um campeonato muito bom lá, mas quem quer ser campeão tem que passar por cima de tudo”, ensinou Bruno César.