Santos diz não ter participado de acordo entre Neymar e Barcelona e solicita documentos

O presidente Odílio Rodrigues recebeu alguns jornalistas previamente selecionados e mostrou uma posição bastante cautelosa

Comentar
Compartilhar
29 JAN 201422h54

A novela sobre a transferência de Neymar para o Barcelona ganhou mais um capítulo hoje (29). Enfim, o Santos se manifestou oficialmente em entrevista coletiva. O presidente Odílio Rodrigues recebeu alguns jornalistas previamente selecionados, mostrou uma posição bastante cautelosa e esclareceu, principalmente, que o alvinegro praiano nunca teve conhecimento do acordo feito entre Neymar e o clube espanhol em 2011, conforme revelou o pai do atacante na terça-feira.

“Eu perguntei diversas vezes ao pai do Neymar: ‘você recebeu algum dinheiro do Barcelona? E ele disse: ‘não’. Em várias reuniões isso foi perguntado e ele negou. Tive contato com o Sandro Rosell (presidente do Barça à época) e perguntei: ‘vocês pagaram alguma coisa ao Neymar? Ele disse: ‘não’”, contou Odílio, antes de ser mais incisivo. “Uma coisa é o Santos ter autorizado uma negociação, outra coisa é o Santos não ter conhecimento de uma negociação do Neymar com o Barcelona, o Santos não participou disso, ignora isso e, pelo contrário, sempre que foi perguntado foi negado”, explicou o presidente, que também revelou ter se reunido com o pai de Neymar na terça-feira à noite.

Odílio Rodrigues, presidente do Santos, evitou criar um clima hostil entre o clube e o pai de Neymar (Foto: Divulgação/Santos FC)

“Ontem, fizemos um ofício ao Neymar pai pedindo que nos enviasse toda essa documentação, ele me ligou e falou que viria aqui. Ele chegou aqui à noite, acompanhado do advogado, explicou o que tinha falado na (entrevista) coletiva e a gente disse que gostaria de ter acesso a estes documentos. Ele alegou cláusula de confidencialidade, ou seja, ele poderia falar sobre os documentos, mas não poderia nos dar os documentos. O Neymar pai falou que recebeu cerca de 100 milhões de euros por um contrato de cinco anos. Esses 100 milhões de euros são divididos em várias rubricas. A gente precisa saber a título de quem ele recebeu, em que data ele recebeu, o Santos precisa ter acesso a esses documentos para ter tudo esclarecido e, assim, avaliar o que deve ser feito”, disse Odílio, que aguarda um esclarecimento para tomar uma posição. “O Santos pretende ter acesso a esses documentos e, se entender que tem dinheiro ali que caracterize a transferência do Neymar, certamente vai pleitear seus direitos. O Comitê (Gestor) se reúne amanhã (hoje) com essa posição e convidamos a mesa do Conselheiro Deliberativo para participar dessa reunião”.