Santos deve ter grupo menor de jogadores para a próxima temporada

A temporada terminou com mais saídas que chegadas de jogadores ao Santos Futebol Clube. Isso indica um elenco mais enxuto no começo do próximo ano.

Comentar
Compartilhar
30 DEZ 201220h45

O ano acaba para o Santos com mais confirmações de saídas do que de chegadas de jogadores. Isso indica que o clube terá um elenco mais enxuto no começo de 2013, o que contraria os planos do técnico Muricy Ramalho. Sete atletas se desligaram desde o fim do Campeonato Brasileiro, enquanto que apenas uma contratação foi confirmada: a do zagueiro Neto, do Guarani.

Para reduzir esse déficit, o Santos deve anunciar nos próximos dias a chegada do volante Renê Junior, da Ponte Preta, e do lateral Guilherme Santos, do Figueirense. A diretoria aguarda apenas o fim dos contratos deles com seus clubes. O volante Cicero, do São Paulo, também está para chegar.

Quem iniciou a debandada no Santos foram os laterais Fucile (direito) e Juan (esquerdo) e o meia Bernardo, que estavam no clube por empréstimo. Na sequência, um trio de garotos deixou a Vila Belmiro com destino ao Botafogo, de Ribeirão Preto (SP), também por empréstimo: o lateral-direito Crystian, o zagueiro Rafael Caldeira e o atacante Dimba.

O sétimo jogador a sair foi o volante Éwerton Páscoa, agora no Criciúma. E a lista tem um oitavo nome quase certo: o zagueiro Bruno Rodrigo, que não acertou a renovação de seu contrato. Além deles, a diretoria pode utilizar outros jogadores como moeda de troca em negociações como o zagueiro David Braz, o volante Henrique, os meias João Pedro e Gerson Magrão e o atacante Bill.

O Milan pede R$ 27,7 milhões para a liberação e Robinho quer ter um salário de R$ 1 milhão. (Foto: Divulgação/ Santos FC)

Robinho

O vice-presidente Odílio Rodrigues negou que o Santos tenha feito alguma proposta ao Milan para tentar a contratação do atacante Robinho. Segundo o dirigente, o contato entre os clubes não passou de conversas. "É um grande jogador, mas a negociação envolve valores altos e não podemos criar expectativas seguidas de frustrações. Mantivemos as conversas e estamos analisando os valores, mas ainda não fizemos oferta", disse o dirigente em entrevista ao canal Fox Sports.

O Milan pede R$ 27,7 milhões para a liberação e Robinho quer ter um salário de R$ 1 milhão, o mesmo valor que ele recebeu durante sua passagem pelo Santos em 2010.

A diretoria corre para anunciar um reforço de peso já na primeira semana de janeiro. Além de Robinho, para o ataque, o clube pode confirmar Nenê, do Paris Saint-Germain. Para o meio de campo, negocia com o argentino Montillo, do Cruzeiro.