Santos desperdiça pausa da Copa e troca técnico após empates

O técnico Jair Ventura não resistiu no cargo depois dos empates contra Palmeiras e Chapecoense

Comentar
Compartilhar
24 JUL 2018Por Folhapress09h00
Jair soma um dos piores desempenhos de técnicos do Santos neste séculoJair soma um dos piores desempenhos de técnicos do Santos neste séculoFoto: Divulgação/Santos FC

O Santos demitiu nesta segunda-feira (23) o técnico Jair Ventura. Após ser bancado pelo presidente José Carlos Peres durante o recesso da Copa do Mundo, o treinador não resistiu no cargo depois dos empates contra Palmeiras e Chapecoense.

"A direção do Santos Futebol Clube comunica que Jair Ventura não é mais treinador da equipe profissional. O Clube agradece o profissionalismo do técnico durante o tempo em que aqui esteve no comando do Peixe", informou o clube santista em nota.

O treinador tinha contrato com o Santos até o fim desta temporada e receberá uma compensação financeira de um salário por conta da rescisão contratual.

Jair soma um dos piores desempenhos de técnicos do Santos neste século. Em 39 jogos, ele conquistou apenas 14 vitórias. Foram 10 empates e 15 derrotas, um aproveitamento de 44,4%.

O técnico carioca sequer pôde estrear os reforços contratados pela diretoria na paralisação do Campeonato Brasileiro. Casos do costa-riquenho Bryan Ruiz, do uruguaio Carlos Sánchez e do paraguaio Derlis González.

Em entrevistas recentes, Jair vinha insistindo na necessidade de mais reforços para compor o grupo de olho na sequência do torneio, já que não poderia contar imediatamente com os novos atletas.

Ruiz e Sánchez, por exemplo, entraram em férias por terem disputado a última Copa do Mundo e ainda terão de recuperar ritmo de jogo para poder estrear pelo clube.

Nesta segunda-feira, Jair Ventura viu o costa-riquenho fazer seu primeiro treino com a camisa do Santos. Horas depois, foi demitido. Carlos Sánchez e Derlis González ainda nem foram anunciados.

Com a demissão do treinador, o Santos corre em busca de técnico no mercado. Zé Ricardo, que trabalhou no Vasco nesta temporada e está desempregado, é um nome forte para assumir o comando.

Ricardo Gomes, diretor executivo de futebol, e o presidente, José Carlos Peres, gostam do perfil do treinador.

A possibilidade de a equipe procurar um treinador estrangeiro foi descartada pela diretoria santista.

"Nós temos vários treinadores bons. Se fosse o início de uma temporada, poderia ser uma boa pedida um estrangeiro. Mas no meio da competição, não. Os dois nomes que tenho são brasileiros", disse Peres em entrevista coletiva na tarde desta segunda.

"Precisamos encontrar um treinador com as características que a torcida pede, precisaremos de resultados no dia a dia. Uma gestão não é só a parte tática, tem muita coisa: vestiário, comportamento diário, muitas coisas que envolvem o novo prazo", afirmou Ricardo Gomes.

Contra o Flamengo, quarta (25), na Vila Belmiro, o Santos será comandado pelo auxiliar técnico fixo do clube, Serginho Chulapa, que já foi interino em várias oportunidades.

A equipe vive situação delicada no Campeonato Brasileiro. Ocupa a 15ª colocação, com 15 pontos, a apenas um de diferença para a zona de rebaixamento.

Se perder para o Flamengo, além de um empate do Vitória diante do Sport e triunfo do América-MG contra o Internacional, o Santos ficará na zona do rebaixamento.

O time, porém, tem um jogo a menos que os concorrentes. O confronto com o Vasco, válido pela 3ª rodada, foi adiado por conta da participação do clube carioca em jogo atrasado pela Copa do Brasil.

A partida pelo Brasileiro entre santistas e vascaínos seria no último dia 16, mas a data foi utilizada pela CBF para o jogo de volta entre Vasco e Bahia. O duelo entre santistas e vascaínos segue sem data definida.