X

Esportes

Santos aguarda documentos para entrar com recurso em caso Sánchez

O prazo para recorrer da decisão na Câmara de Apelações da Conmebol é de sete dias a partir do recebimento dos fundamentos

Folhapress

Publicado em 03/09/2018 às 18:00

Comentar:

Compartilhe:

A-

A+

Santos aguarda documentos para entrar com recurso em caso Sánchez / Ivan Storti/Santos FC

O Santos pressiona a Conmebol para que a entidade sul-americana envie o mais rápido possível ao departamento jurídico do clube os fundamentos da decisão que amparou o resultado de 3 a 0 a favor do Independiente -em julgamento ocorrido na última terça-feira (28).

Segundo apurou a reportagem, o clube da Vila Belmiro ainda aguarda os documentos solicitados para que assim consiga combater as fundamentações em recurso que irá à Conmebol. O prazo para recorrer da decisão na Câmara de Apelações da Conmebol é de sete dias a partir do recebimento dos fundamentos.

Vale lembrar que o Santos só pode tentar a mudança do resultado na CAS (Corte Arbitral do Esporte, na sigla em inglês) depois da decisão do recurso na Câmara de Apelações da Conmebol.

O Santos foi considerado culpado pela Conmebol pela escalação irregular de Carlos Sánchez contra o Independiente, pelo jogo de ida das oitavas de final da Libertadores. A decisão foi anunciada na terça-feira (28) e alterou o placar de 0 a 0 da partida de ida para 3 a 0.

As duas equipes voltaram a se enfrentar no Pacaembu e, com novo placar de 0 a 0 (em campo), o Independiente avançou para as quartas de final da Copa Libertadores.

A polêmica que levou o jogo para o tribunal aconteceu por causa de uma expulsão de Sánchez em 26 de novembro de 2015, na Copa Sul-Americana, quando ele atuava pelo River Plate. O jogador deixou o clube argentino e foi para o futebol mexicano, não cumprindo a suspensão automática em competições da Conmebol.

Há quem diga que o jogador tinha condições de jogo como consequência de uma anistia promovida pela Conmebol em seu centenário, em 2016, quando diminuiu pela metade a pena em vigor de jogadores em competições sul-americanas.

A defesa do Santos se baseava no sistema "Comet", da Conmebol, que apontava Sánchez como apto para a partida. Os advogados santistas usaram o caso do Lanús na temporada passada, quando a Conmebol deu ganho de causa ao clube após acusação de escalação irregular de Lautaro Germán Acosta. Na ocasião, o

"Comet" foi utilizado para mostrar que não havia problema na inclusão do atleta.

Outro ponto abordado foi o do River Plate. O Santos alegou à Conmebol que a entidade concedesse ao clube no "caso Sánchez" a mesma decisão que tomou envolvendo o jogador Bruno Zuculini, do time argentino. Neste caso, a entidade máxima do futebol sul-americano alegou falta de denúncia de adversários e não puniu o clube argentino por escalação irregular. Zuculini terá apenas que cumprir suspensão ainda nesta edição.

Apoie o Diário do Litoral
A sua ajuda é fundamental para nós do Diário do Litoral. Por meio do seu apoio conseguiremos elaborar mais reportagens investigativas e produzir matérias especiais mais aprofundadas.

O jornalismo independente e investigativo é o alicerce de uma sociedade mais justa. Nós do Diário do Litoral temos esse compromisso com você, leitor, mantendo nossas notícias e plataformas acessíveis a todos de forma gratuita. Acreditamos que todo cidadão tem o direito a informações verdadeiras para se manter atualizado no mundo em que vivemos.

Para o Diário do Litoral continuar esse trabalho vital, contamos com a generosidade daqueles que têm a capacidade de contribuir. Se você puder, ajude-nos com uma doação mensal ou única, a partir de apenas R$ 5. Leva menos de um minuto para você mostrar o seu apoio.

Obrigado por fazer parte do nosso compromisso com o jornalismo verdadeiro.

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Emergenciais

Estado diz que investiu R$ 2,2 milhões em obras no Escolástica Rosa

O conjunto arquitetônico formado por salas de aula, orfanato, capela e oficinas profissionalizantes foi inaugurado em 1908

RUÍNAS

Restauração do Escolástica Rosa começa no 'fim do mês', diz Nupec

Patrimônio histórico tombado foi inaugurado em 1908 à beira-mar e formou gerações de santistas, mas está abandonado, tomado pelo mato e em ruínas

©2024 Diário do Litoral. Todos os Direitos Reservados.

Software

Newsletter