Santistas querem nervos no lugar para evitar cartões por reclamação

Na derrota para a Chapecoense por 1 a 0, no último domingo, em Santa Catarina, seis atletas do Peixe foram advertidos com cartão amarelo

Comentar
Compartilhar
30 MAI 201511h48

O Campeonato Brasileiro de 2015 chegou com uma novidade na arbitragem. Os jogadores foram avisados, às véspera do início da principal competição nacional, e os torcedores perceberam logo na primeira rodada que a atitude dos árbitros será mais rigorosa nesta edição, por orientação da CBF. Diante disso, os atletas do Peixe sabem que precisam se acalmar para evitar cartões bobos e não acabarem prejudicando a equipe durante o torneio.

"Chegou a orientação para a gente não conversar com arbitragem. Eles adotaram agora uma maneira mais rigorosa de apitar, temos que esquecer a arbitragem e jogar nosso futebol. Independente de quem estiver lá para apitar, a gente tem que fazer nossa parte. São lances de jogo, eles acabam errando, são seres humanos... Mas essa medida vai ter momento que vai nos prejudicar e momentos que vai nos ajudar. Então, temos que esquecer", comentou o goleiro Vladimir.

Renato é outro que já se conformou com a nova postura dos árbitros. "A mudança pode ser válida porque às vezes perdemos jogador por reclamação. Já que o juiz apitou e a falta vai ser cobrada, dificilmente ele volta atrás. É uma medida para falar pouco com os árbitros, a CBF já falou isso. Temos de respeitar um pouco mais os árbitros, aceitar, reclamar menos e se preocupar com a bola", disse o camisa 8.

Aos 36 anos, Renato é considerado um dos líderes do elenco alvinegro. O volante tenta usar toda sua experiência para aconselhar seus companheiros e até dá dicas de como agir na hora de debater com a autoridade máxima do jogo.

Renato mostrou apoio ao novo método adotado pela arbitragem no Brasileirao (Foto: Ricardo Saibun/SFC)

"Eu, sempre quando falo (com o árbitro), vou na conversa, com muito respeito, sem levantar o braço. Isso é algo que o juiz valoriza muito. Não tem de ir gesticulando, olhando feio. Conversamos fora de campo para que possamos não levar cartão", contou.

Na derrota para a Chapecoense por 1 a 0, no último domingo, em Santa Catarina, seis atletas do Peixe foram advertidos com cartão amarelo. Robinho, Ricardo Oliveira, Lucas Otávio, Lucas Lima, Geuvânio e Chiquinho foram punidos pelo árbitro Jailson Macedo Freitas, que após o jogo sofreu duras críticas de Marcelo Fernandes e de Ricardo Oliveira pela intolerância no modo de conduzir a partida. O técnico acabou expulso logo aos 18 minutos do primeiro tempo.

Chiquinho é o único do elenco, por enquanto, com dois cartões. O lateral já havia recebido um amarelo na vitória por 1 a 0 em cima do Cruzeiro. Cicinho também levou um cartão, no empate por 1 a 1 com o Avaí.

"Jogador brasileiro tem mania de levantar os braços. Eu estive com o Luis Fabiano no Sevilla e falava para ele não reclamar com o juiz, mas era o jeito dele. Tem de mudar, é uma questão de cultura. Conversamos muito para não levar esse cartão por reclamação", revelou Renato, conhecido por uma carreira sem maiores entreveros com os senhores do apito.

Apesar de Vladimir e Renato garantirem que o grupo já captou a mensagem dada nas três rodadas do Brasileirão até aqui, o elenco alvinegro mais uma vez testará seus nervos neste domingo, às 11 horas, na Vila Belmiro, no duelo contra o Sport.