Santistas comemoram vaga, e Elano brinca após gol: “É muito futevôlei”

Autor do único gol do jogo, o meia brincou após o apito final, já que marcou de cabeça, após cobrança de escanteio, fugindo de suas características

Comentar
Compartilhar
16 ABR 201514h45

O Santos poupou sete titulares na partida desta quarta-feira, contra o Londrina. Após ter vencido por 1 a 0, no Paraná, o Peixe repetiu o placar em São José dos Campos e avançou à segunda fase da Copa do Brasil. Autor do único gol do jogo, Elano brincou após o apito final, já que marcou de cabeça, após cobrança de escanteio, fugindo de suas características.

“Olho aberto, intenção era essa mesmo, fui feliz, não é meu forte, mas sempre estou fechando aquele espaço ali”, explicou, ao garantir que teve a intenção de colocar a bola no ângulo do goleiro Vitor. “Muito futevôlei”, completou, aos risos.

Elano entrou em campo como titular e capitão do Santos no jogo. Foi substituído na segunda etapa, mas aprovou a atuação do alvinegro praiano.

“Jogos assim são difíceis, mas o Santos está de parabéns, mesmo com várias mudanças, continuou no mesmo nível, o importante foi a classificação”, explicou, ciente de que domingo, no clássico contra o São Paulo, pela semifinal do Campeonato Paulista, a dificuldade deve aumentar.

“Temos que sempre melhorar. Jogamos bem, contra um time ofensivo, mas o grupo do Santos está no caminho certo, domingo é outra história, espero que estejamos inteiros”. Por fim, o experiente meia de 34 anos enalteceu o crescimento da equipe e enxerga o Santos com condições de enfrentar qualquer rival paulista.

“É só vocês tirarem a conclusão de dezembro, como acabamos e como estamos agora. Viemos de grandes jogos, vejo o Santos no nível de todos eles”, cravou.

Enquanto isso, o atacante Gabriel, que recebeu mais uma chance de iniciar uma partida, já que Robinho e Ricardo Oliveira foram poupados por Marcelo Fernandes, mostrou que a cabeça dos jogadores já está no clássico de domingo.

“Tem que ter calma, claro que estamos em casa, vamos para cima, domingo tem mais”, disse o camisa 10, que nesta quarta-feira passou em branco, foi muito cobrado pela comissão técnica durante toda a partida e acabou sacado no segundo tempo para a entrada de Geuvânio. Mesmo assim, o atacante garante que leva tudo numa boa.

“Muito bom, isso me ajuda bastante, são grandes pessoas, principalmente o Serginho (Chulapa), que era atacante, isso me ajuda bastante”, ressaltou.