Roger faz mistério sobre Borja e evita antecipar preocupação por Jailson

Na ausência do centroavante, que estava defendendo a seleção do seu país, Roger fez variações no posicionamento e nos nomes escolhidos para substituí-lo

Comentar
Compartilhar
29 MAR 2018Por Folhapress15h45
Roger ainda evitou sofrer por antecipação com uma possível ausência de Jailson no segundo jogo da final, no dia 8 de abril, no Allianz ParqueFoto: Cesar Greco/ Ag. Palmeiras/ Divulgação

O técnico Roger contará com a volta do atacante Miguel Borja para o primeiro jogo decisivo do Campeonato Paulista contra o Corinthians, mas evitou confirmar a titularidade do colombiano na partida deste sábado (31), às 16h30 (de Brasília), em Itaquera.

Na ausência do centroavante, que estava defendendo a seleção do seu país, Roger fez variações no posicionamento e nos nomes escolhidos para substituí-lo. Sem Borja, o Palmeiras marcou nove gols em três jogos.

"Com exceção do Marcos Rocha, a gente tem praticamente todo mundo à disposição, com o Miguel [Borja] voltando da seleção. Ontem [quarta-feira, 28], eu vi parte dos 45 minutos que ele entrou [pela Colômbia], pela curiosidade de movimentação que ele tem na seleção", disse, durante entrevista na sede da FPF (Federação Paulista de Futebol) nesta quinta-feira (29).

"Eu estou muito bem, o ataque sem ele funcionou, dá uma característica diferente paro jogo. Isso tudo a gente começa a montar a partir do momento que ficou sabendo do adversário, começa a montar a estratégia, que vai ser definida entre hoje e amanhã", completou.

Roger ainda evitou sofrer por antecipação com uma possível ausência de Jailson no segundo jogo da final, no dia 8 de abril, no Allianz Parque. O julgamento final sobre a expulsão do goleiro no clássico do primeiro turno está marcado para a próxima terça-feira (3). Ele conseguiu atuar nas últimas partida por causa de um efeito suspensivo.

"Prefiro me preocupar com uma causa de cada vez. Sei que terei ele para esse primeiro jogo, para o segundo tudo vai depender do que vai acontecer no julgamento. Não vou me precipitar e me preocupar antes do que vai acontecer. O fato de a gente ter tido ele nesses três jogos foi muito importante, mas mesmo que porventura não tenha no segundo jogo, temos outros dois grandes goleiros, que quando precisamos corresponderam bem", explicou.

Na entrevista concedida ao lado de Carille, Roger concordou que o dia a mais que terá de preparação em relação ao rival pode ser importante. O Corinthians atuou na noite de quarta contra o São Paulo e terá menos de 72 horas de repouso e treinos até o primeiro duelo das finais.

"Temos um dia a mais de recuperação, é um peso importante. Depois temos jogo de Libertadores e eles têm a semana livre. Vamos aparar as arestas para o final de semana", disse, referindo-se ao duelo contra o Alianza Lima, na terça-feira.