Rodrigo Caio pede São Paulo mais unido após 2013 ruim

O defensor analisou a última temporada e admitiu que a série de tropeços acabou balançando o ambiente do grupo

Comentar
Compartilhar
09 JAN 201419h31

Um dos poucos jogadores que se destacaram na última temporada pelo São Paulo, Rodrigo Caio inicia 2014 na esperança de que seus companheiros consigam reencontrar a melhor forma. O defensor analisou a última temporada e admitiu que a série de tropeços acabou balançando o ambiente do grupo. "Nos abatemos muito com as derrotas precoces. Vínhamos bem no Paulista e fomos eliminados, depois ficamos abalados com a Libertadores, isso mexeu muito. Neste ano precisamos seguir firme, independentemente do que acontecer nos campeonatos. Tem muitos times inferiores que nos venceram pensando dessa forma", explicou.

Em 2013, o São Paulo mergulhou na mais grave crise da sua história logo após a eliminação para o Atlético Mineiro na Copa Libertadores. Ney Franco, técnico à época, afastou diversos jogadores e acabou sendo demitido após a derrota no primeiro jogo da final da Recopa Sul-Americana contra o Corinthians. O ambiente só melhorou com a chegada de Paulo Autuori, que mesmo tendo ficado pouco mais de dois meses à frente do clube e ter fracassado na missão de tirar a equipe da zona de rebaixamento, conseguiu reerguer o astral do grupo.

Rodrigo Caio afirmou que em alguns momentos faltou união aos jogadores, mas vê as turbulências como águas passadas e diz que o pensamento para a temporada que se inicia contra o Bragantino, no próximo dia 19, é completamente diferente. "Não é que não tinha, mas em certos momentos faltou um pouco. No futebol, quando você começa a perder e começam a vir as críticas, dá uma abalada. Nosso time estava focado, mas começamos a perder. O pensamento já está diferente nessa temporada, todo mundo está querendo, se dedicando muito. Temos que ser uma família, um correr pelo outro", disse.

Rodrigo Caio inicia 2014 na esperança de que seus companheiros consigam reencontrar a melhor forma (Foto: Divulgação/São Paulo FC)

O jogador começou 2013 como volante e terminou sendo um dos principais jogadores do time atuando na zaga ao lado de Antonio Carlos. Consolidado na posição, ele agora espera iniciar a nova temporada da mesma forma que terminou a anterior e não esconde que prefere atuar na defesa, mas admite voltar ao meio-campo se Muricy Ramalho determinar.

"Não tive nenhuma conversa com ele (Muricy), terminei o ano como zagueiro e disse que queria continuar como zagueiro, mas isso é uma decisão dele. Independentemente da posição, espero estar em campo e poder ajudar meus companheiros da melhor maneira possível", afirmou o jogador.

Zagueiro de origem na época da base, Rodrigo Caio só voltou à função graças a uma emergência no elenco. Paulo Autuori o recuou e desde então ele não saiu mais da equipe. Apesar de valorizar a possibilidade de atuar em mais de uma faixa do campo, ele admite que pensa em se estabilizar na zaga para se desenvolver no futuro.

"Primeiramente penso sempre em jogar, quando estou em campo estou feliz. Mas claro que penso de vez em quando que queria jogar na minha posição de origem, que é zagueiro, mas se precisar jogar de volante eu jogo".

A disputa pelas duas posições no setor deve ficar mais acirrada com a contratação de Roger Carvalho, que ainda não estreou mas desde o ano passado já impressionava Muricy pelo desempenho nos treinamentos. A princípio, porém, o treinador deve manter Rodrigo Caio e Antonio Carlos como titulares para a estreia no Paulista contra o Bragantino.