X
Esportes

Rodrigão x Gilberto: duelo de ‘coadjuvantes’ marca San-São

Com história semelhantes, dupla de centroavantes deixa desconfiança de lado e brilha no início de 2017

Empatados na artilharia do Paulistão, com três gols cada, Rodrigão e Gilberto estão chamando a responsabilidade em suas equipes / Divulgação/Santos FC e São Paulo FC

O clássico entre Santos e São Paulo, que tem início nesta quarta-feira, a partir das 21h45 (horário de Brasília), no estádio da Vila Belmiro, pela terceira rodada do Campeonato Paulista 2017, colocará frente a frente dois coadjuvantes que viraram protagonistas de suas equipes neste início de temporada. Do lado do Peixe, o centroavante Rodrigão. Do outro, o centroavante Gilberto.

No fim do ano passado, ambos foram pouco aproveitados. Durante o período de negociações do mercado de futebol, estiveram próximo de uma transferência para outras equipes, mas acabaram mantidos por seus treinadores e agora desfrutam de um belo início de temporada. Juntos, os jogadores dividem a artilharia do torneio estadual, com três gols cada.

A situação de Rodrigão é ainda mais complexa. Reserva de Ricardo Oliveira, ele viu a chegada do centroavante Kayke e tinha poucas perspectivas de titularidade no ano. O primeiro citado, porém, contraiu caxumba e ainda não foi inscrito para o Paulistão. Já Kayke demorou a ser regularizado e perdeu a disputa direta com Rodrigão no comando do ataque alvinegro.

Nos primeiros desafios, o novo protagonista do Peixe deu conta do recado. No amistoso contra o Kenitra, do Marrocos, marcou um dos gols na vitória, por 5 a 1, no Pacaembu. Na goleada de estreia do Estadual, contra o Linense, voltou a ser decisivo e balançou as redes por duas vezes. Já no último final de semana, também deixou o seu na vitória, por 3 a 2, sobre o RB Brasil.

A história de Gilberto também não deixa a desejar. Pouco aproveitado no ano passado, o centroavante assumiu a posição do argentino Chávez e vem dando conta do recado no comando do ataque tricolor. Em três partidas, ele marcou quatro gols, o dobro da última temporada, quando foi opção no time do Morumbi em apenas dez oportunidades.

O primeiro gol no ano foi na vitória sobre o Moto Club, por 1 a 0, quando garantiu a sua equipe na próxima fase da Copa do Brasil, e os outros três aconteceram na goleada, por 5 a 2, sobre a Ponte Preta, no último final de semana. Por conta do bom desempenho neste início, ele está novamente confirmado entre os titulares e poderá travar duelo especial na noite desta quarta.

Sem mudanças

Os técnicos Dorival Júnior e Rogério Ceni não devem promover mudanças em relação às equipes que venceram o Red Bull Brasil e Ponte Preta, respectivamente, no último domingo.

Do lado do Peixe, o goleiro Vanderlei, em tratamento de uma fratura no dedo anelar da mão esquerda, e o volante Renato, recuperando-se de lesão na panturrilha, seguem fora. Assim como no último jogo, o goleiro Vladimir e o volante Leandro Donizete serão os substitutos na equipe.

Já o Tricolor também deve manter os 11 jogadores que iniciaram a partida contra a equipe de Campinas. O argentino Chávez, que iniciou a temporada como titular, ficará novamente no banco de reservas.

Desfalques

Em fase final de recuperação física, o centroavante Ricardo Oliveira voltou a treinar com o grupo no gramado, mas ainda não foi inscrito no Paulistão. O mesmo acontece com o zagueiro David Braz, recuperado de problema na panturrilha, mas ainda sem regularização.

Quem também ainda não teve sua documentação liberada para a Federação Paulista é o atacante Vladimir Hernández. O Departamento Jurídico do Peixe enfrenta uma “novela” para obter documentos junto à Federação Colombiana e não tem previsão para inscrição do atleta.

O São Paulo, por sua vez, também não poderá contar com dois importantes nomes. Recém-chegados ao clube, o volante Jucilei, ex-Corinthians, e o centroavante Lucas Pratto, que estava no Atlético-MG, já realizam trabalho junto ao restante do grupo, mas, assim como os demais citados, também não foram regularizados.

Santos põe à prova longo tabu contra o rival na Vila Belmiro

Após duas vitórias nas duas primeiras rodadas do Paulistão, o Peixe parece ter um rival ideal para manter a sua invencibilidade no torneio. Se levado em conta os jogos contra o São Paulo, na Vila Belmiro, pelo Estadual, a equipe alvinegra é responsável por um longo tabu frente ao rival.

A última derrota para o Tricolor foi há exatos 14 anos, justamente no dia 15 de fevereiro, de 2003. Na ocasião, o time do Morumbi venceu, por 2 a 1, com gols de Luís Fabiano e Gustavo Nery. O gol do Peixe foi marcado pelo centroavante Ricardo Oliveira. De lá pra cá, no entanto, foram cinco vitórias para o Alvinegro e quatro empates.

Em se tratando de todas as competições do futebol nacional, o Santos não é derrotado em sua casa para o time da Capital há oito anos e 11 jogos. O último revés aconteceu em 2009, pelo Brasileirão. Na ocasião, o então goleiro Rogério Ceni ajudou a sua equipe a vencer, por 4 a 3 - ele marcou o terceiro, em cobrança de falta.

“Números são bacanas, mas quando a bola rola não adianta muita coisa. Motivação maior é o clássico, duas grandes equipes. Queremos ser campeões de novo. É jogo após jogo”, afirmou o goleiro Vladimir.

FICHA TÉCNICA
SANTOS X SÃO PAULO

Local: Estádio Vila Belmiro, em Santos (SP)
Data: 15 de fevereiro de 2017, quarta-feira
Horário: 21h45 (de Brasília)
Árbitro: Vinicius Gonçalves Dias Araújo
Assistentes: Anderson José de Moraes Coelho e Bruno Salgado Rizo

SANTOS: Vladimir; Victor Ferraz, Lucas Veríssimo, Yuri e Zeca; Leandro Donizete, Thiago Maia e Lucas Lima (Bruno Henrique); Vitor Bueno, Copete e Rodrigão
Técnico: Dorival Júnior.

SÃO PAULO: Sidão; Bruno, Maicon, Rodrigo Caio e Junior Tavares; João Schmidt, Thiago Mendes e Cícero; Luiz Araújo, Cueva e Gilberto
Técnico: Rogério Ceni.

Deixe a sua opinião

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Itanhaém

Audiência pública discute propostas sobre zoneamento urbano em Itanhaém

Empresa Geo Brasilis apresentou informações técnicas sobre as características do município

Saúde

Ocupação de leitos de UTI de Covid-19 só aumenta na Baixada Santista

Região ainda não teve um único dia de diminuição de leitos ocupados durante todo o ano de 2022 segundo Seade

©2021 Diário do Litoral. Todos os Direitos Reservados.

Software