Robinho mostra respeito ao Palmeiras e evita repetir funk provocativo

“A gente respeita o Palmeiras. Não fiz aquilo para menosprezar. Ao contrário. Foi uma brincadeira com os meus companheiros”, comentou o atacante

Comentar
Compartilhar
03 MAI 201520h17

Robinho diminuiu o ritmo após o Santos conquistar o Campeonato Paulista de 2015. O atacante que cantou funk no Palestra Itália para celebrar antecipadamente mesmo com a derrota para o Palmeiras, há uma semana, tentou se mostrar respeitoso com a vitória nos pênaltis sobre o mesmo rival.

“A gente respeita o Palmeiras. Não fiz aquilo para menosprezar. Ao contrário. Foi uma brincadeira com os meus companheiros”, comentou Robinho, justificando tamanha confiança após desfalcar o Santos no tropeço do jogo de ida. “A gente sabia que o Santos era forte dentro da Vila Belmiro.”

A música criada por Robinho irritou alguns jogadores do Palmeiras. Enquanto o técnico Oswaldo de Oliveira preferiu enaltecer o jeito bem-humorado do adversário, o atacante Leandro Pereira advertiu: “Só não vão chorar depois”.

Robinho comemorou bastante, mas só cantou para dizer que não havia desrespeitado o rival (Foto: Mauricio de Souza/DL)

Alguns jogadores do Santos, como o meia Lucas Lima, realmente choraram. Mas de alegria, com a conquista do Estadual sobre o Palmeiras.

Já Robinho, sorridente como de costume, desconversou quando lhe pediram para cantar o seu funk. “Se me pagar, eu canto. Vocês não estão me pagando nada”, esquivou-se.

Depois de muita insistência, o ídolo do Santos compôs novas rimas, mas minimizando o funk anterior. “Quando eu jogava na base, não tinha um vintém. Desculpe palmeirenses, mas não desrespeitei ninguém”, cantarolou Robinho.