Robinho faz de pênalti, mas goleiro do Londrina garante o jogo de volta

O goleiro do Londrina realizou pelo menos quatro grandes defesas e, assim, garantiu o segundo jogo entre as equipes dia 16 de abril

Comentar
Compartilhar
17 MAR 201521h37

O Santos poupou seus principais titulares no fim de semana e mandou força máxima para enfrentar o Londrina na estreia da equipe na Copa do Brasil. Porém, mesmo assim não evitou o jogo de volta para definir a vaga na 2ª fase da competição. O único gol do jogo na noite desta terça-feira, no estádio do Café, foi marcado por Robinho, em cobrança de pênalti. Aliás, o lance gerou muita reclamação por parte de jogadores e torcedores do Tubarão, já que árbitro viu mão na bola em jogada que Germano afastou o perigo com o ombro.

Mesmo assim, o nome do jogo foi Vitor. O goleiro do Londrina realizou pelo menos quatro grandes defesas e, assim, garantiu o segundo jogo entre as equipes dia 16 de abril, uma quinta-feira, às 21h30, na Vila Belmiro.

O Peixe jogará pelo empate e apenas o placar de 1 a 0 para o time paraense lavará a decisão para os pênaltis. Antes disso, neste sábado, o alvinegro praiano recebe o Audax às 16 horas, no Pacaembu, pela 11ª rodada do Campeonato Paulista. Enquanto isso, o Londrina visita o JMalucelli, no dia seguinte, pela 10ª rodada do Campeonato Paranaense.

O vencedor do duelo entre Santos e Londrina pela Copa do Brasil enfrentará Maringá ou Madureira, que decidem a vaga dia 15 de abril. No primeiro duelo, vitória do Maringá por 2 a 0.

Goleiro inspirado

Com o apoio da torcida, o Londrina partiu para cima do Santos logo após o apito inicial. Sem tanta efetividade, o Tubarão jogava no campo de ataque, tinha mais a bola em seus pés e buscava uma brecha na zaga santista, que se postava muito bem.

Aos 7 minutos, o time da casa chegou a balançar as redes, mas a festa da torcida foi frustrada pelo impedimento corretamente marcado pelo auxiliar, após cobrança de falta na área.

Aos poucos o Santos foi se soltando e aproveitando a grande extensão do campo no Estádio do Café. A primeira finalização veio só aos 13 minutos, em cobrança de falta de Ricardo Oliveira, facilmente defendida por Vitor.

Cinco minutos depois, porém, o camisa 1 do time paranaense salvou sua equipe. O camisa 9 do Peixe recebeu de Robinho e, de fora da área, soltou um petardo, no ângulo. Vitor tocou na bola antes que dela explodir no travessão.

O jogo ficou mais equilibrado e aberto, com possibilidades para os dois times, após a primeira metade da etapa inicial. Robinho teve uma boa chance ao receber uma bola de presente da zaga do Londrina, mas bateu colocado, para fora.

Robinho marcou de pênalti e garantiu a vitória (Foto: Célio Messias/Estadão Conteúdo)

Aos, 30, Vanderlei evitou o gol dos mandantes em bela cobrança de falta do experiente Celsinho, mas as 36, Vitor chamou a atenção para si novamente.

Ricardo Oliveira saiu da área, atraiu a marcação e deu uma linda assistência para Vitor Ferraz. O lateral, que mais uma vez atuou improvisado na esquerda, ainda teve tempo e limpar a marcação antes de bater, praticamente da marca do pênalti, mas o arqueiro Vitor mostrou que estava inspirado e realizou uma defesa espetacular.

O Santos ainda criou uma boa oportunidade com Lulas Lima antes do apito do árbitro, mas os times desceram para o vestiário sem mexer no placar.

Erro decisivo

A segunda etapa começou e logo aos cinco minutos um lance polêmico. Após jogada de Lucas Lima pela direita, Ricardo Oliveira finalizou e Germano, ex-jogador do Santos, abriu o braço, mas tirou a bola para escanteio com o ombro. Porém, o árbitro entendeu que o volante tocou a bola com o braço e deu pênalti, além do cartão amarelo para Germano.

Depois de muita reclamação, Robinho bateu com força e superou Vitor, que acertou o canto, mas não evitou a abertura do placar.

Aos 11 minutos, o Londrina tentou responder e foi a vez de Celsinho pedir pênalti após ser derrubado na área. O juiz mandou seguir e percebeu que estava dali para frente carregaria a pressão por ter assinalado a penalidade máxima contra o time da casa.

O Londrina se abateu e, diferente do primeiro tempo, não conseguia agredir a zaga santista. E o prejuízo só não era pior porque Vitor seguia provando que estava em grande noite.

Aos 22, Robinho arriscou de fora da área e o goleiro voou para espalmar. No rebote, com o camisa 1 ainda se recuperando, Ricardo Oliveira cabeceou, de primeira, e Vitor mais uma vez salvou o Tubarão, desta vez com os pés.

Quinto colocado no Campeonato Paranaense e sem vencer há três jogos, o Londrina percebeu que dificilmente superaria o Peixe na técnica e passou a tentar se defender de todas as maneiras para levar a definição da vaga para o segundo jogo. A esta altura, Vanderlei era apenas um espectador no jogo.

E depois de ser beneficiado pelo erra da arbitragem, aos 30 do segundo tempo foi a vez do Santos reclamar. Lucas Lima foi tocado por trás depois de fazer fila, caiu dentro da área, mas o juiz mandou seguir a jogada e nada marcou.

O Peixe encontrava muito espaço e sobrava em campo. Cicinho e Robinho não só não definiram a classificação por causa da pontaria torta.

Não faltavam oportunidades. Aos 37, o Londrina saiu jogando errado três vezes seguidas na entrada de sua área, mas os paulistas, até com uma certa displicência, não aproveitavam. Robinho, apesar do gol de pênalti, perdeu uma grande oportunidade ao finalizar de pé esquerdo.

Desta forma, Santos e Londrina voltam a se enfrentar dia 16 de abril, na Vila Belmiro, para definir quem avança na Copa do Brasil.