Rafael Marques queima língua da torcida e quer renovar com Palmeiras

O camisa 19 virou titular, artilheiro do time no Campeonato Paulista e na temporada por balançar as redes seis vezes e herói, fazendo o gol do empate diante do Corinthians

Comentar
Compartilhar
23 ABR 201514h00

Pedido de Oswaldo de Oliveira, Rafael Marques chegou ao Palmeiras tendo que negar ser só alguém da confiança do técnico. A acusação vinha, também, pela sua fraca passagem no clube em 2004, com apenas um gol marcado e chances incríveis desperdiçadas. Além disso, vinha do futebol chinês após balançar as redes somente quatro vezes em 21 jogos. Mas o atacante calou os críticos.

O camisa 19 virou titular, artilheiro do time no Campeonato Paulista e na temporada (igualou-se a Cristaldo e Robinho) por balançar as redes seis vezes e herói, fazendo o gol do empate diante do Corinthians, no domingo, garantindo à equipe a chance de se classificar para as finais do Campeonato Paulista nos pênaltis.

“O que mais vejo nas redes sociais é que queimei a língua de quem não esperava isso de mim”, contou Rafael, sorrindo ao comentar que é chamado de “Benzemarques”, em alusão ao centroavante francês do Real Madrid. Mas sem se sentir vingado. “Sou um cara bem tranquilo, bem humilde. Só vejo essas manifestações pelo lado positivo, não quero tapar a boca de ninguém.”

Atacante chegou sob desconfiança e já é o artilheiro do time no Paulista (Foto: Divulgação)

Superar desconfiança não é uma novidade. Rafael Marques passou sete anos fora do Brasil e chegou ao Botafogo no meio de 2012, mas demorou seis meses para balançar as redes. Contudo, deslanchou, sendo artilheiro do time em 2013, com 19 gols, e atraindo milionária proposta do futebol chinês.

“Foi assim comigo no Botafogo e está tudo bem encaminhado aqui neste ano. Não tenho que dar resposta para ninguém, só alegria para a torcida, como está acontecendo. Fico feliz por ver o torcedor contente com o meu desempenho, espero corresponder ainda mais”, comemorou.

O objetivo do camisa 19 é continuar agradando para que fique no Palmeiras – está emprestado pelo chinês Henan Jianye até 31 de dezembro. “Este é o ano de deixar o meu nome marcado no Palmeiras depois daquela passagem. Quero que seja diferente até porque vim por empréstimo e pretendo permanecer por muito mais anos aqui”, avisou, feliz já por estar na decisão do Paulista.

“Cheguei com desconfiança de parte da torcida, até porque tive uma passagem rápida por aqui, saí muito novo do Brasil e estava jogando na China, onde o nível é bem baixo. Para mim, representa muito disputar hoje uma final, conquistando espaço no time. Mas ainda tenho os pés no chão, porque não conquistei nada. O primeiro passo para isso é conseguir título”, sentenciou.