Pugilista troca Rio por Santos para perseguir sonho de título mundial

Michel Soares da Silva viu em Felipe Moledas, da equipe Memorial, um técnico que pode lhe ajudar a atingir sua meta 

Comentar
Compartilhar
19 NOV 2020Por Da Reportagem08h25
Pugilista trocou terras cariocas pelas praias de Santos para tentar títuloFoto: Divulgação

O pugilista Michel Soares da Silva, de 21 anos, deixou o Complexo da Maré, no Rio de Janeiro, para mudar. Não apenas de cidade, vindo para Santos, mas para deixar o boxe amador pelo profissional, tornando-se atleta da categoria super meio-médio. Para isso, recentemente, passou a integrar a equipe Memorial, que tem como um de seus técnicos Felipe Moledas.

Aliás, o treinador foi fundamental para a mudança. "Vim porque eu achava que ele poderia me ajudar a chegar ao título mundial como profissional. Em 2017, ele conquistou isso com a Rose Volante, a primeira brasileria que atingiu esse patamar", diz o carioca.

Ao comentar a declaração do novo "pupilo", Moledas se mostra "feliz pelo
reconhecimento, pois é fruto do trabalho desenvolvido nos últimos anos na equipe Memorial". O treinador também afirma que vê em Soares atribudos suficientes para que o pugilista consiga grandes resultados.

"Ele é um talento nato, tem muito potencial. Ainda como juvenil, foi campeão Intercontinental e Brasileiro. Ganhou tudo que disputou. Ele está se dedicando, empolgado", ressalta o técnico.

A vinda de Soares para Santos ocorreu há cerca de quatro meses. Neste período, vem treinando e aguardando a marcação de seu combate de estreia como profissional.

Conforme Felipe Moledas, é possível que ele lute ainda neste ano. No entanto, a confirmação de um duelo depende de limitações impostas pelo Conselho Nacional de Boxe devido à pandemia. Uma das determinações é que os eventos sejam mais enxutos, o que dificulta a marcação de alguns embates.

Michel Soares da Silva conheceu o pugilismo em 2008, no projeto Luta Pela Paz. Entretanto, migrou para o judô e também passou pela capoeira. Já em 2012, voltou ao boxe e não saiu mais.

Como amador, o carioca realizou 119 lutas. Perdeu somente 18 combates. Entre suas conquistas, está o título Sul-Americano e o Intercontinental, citado por Moledas. Também faturou o ouro em campeonatos carioca, paulista e capixaba.

Antes de se profissionalizar, defendeu clubes como Corinthians e Tony Boxe/Darlison Leão. Também tem passagem pela Seleção Brasileira.