Problemas físicos voltam a justificar mau futebol do Corinthians

No confronto com o time rubro-negro, o time não pôde contar com Alessandro, Paulo André, Fábio Santos e Guerrero. Ainda no primeiro tempo, com o placar zerado, Guilherme saiu contundido

Comentar
Compartilhar
26 NOV 201313h51

A esta altura, o torcedor do Corinthians provavelmente está tão cansado do futebol pouco convincente da equipe no Campeonato Brasileiro quanto das justificativas. Os recorrentes problemas físicos da equipe foram novamente lembrados após a derrota por 1 a 0 para o Flamengo, no último domingo.

No confronto com o time rubro-negro, o time não pôde contar com Alessandro, Paulo André, Fábio Santos e Guerrero. Ainda no primeiro tempo, com o placar zerado, Guilherme saiu contundido. Assim, com um mau desempenho, foi interrompida uma sequência até razoável de resultados.

“Quando voltamos a ter dois articuladores, com a volta do Renato, o time teve três vitórias e três empates. Você vê como é a bola. Dos últimos três jogos (antes da derrota no Rio), vencemos dois. Contra o Flamengo, perdemos o Guilherme, que faz parte da construção das jogadas. O Fábio, que não tem atuado, é um construtor”, afirmou Tite.

Mesmo nessa série de seis jogos citada pelo gaúcho, foram apenas cinco gols marcados. E a verdade é que a ao menos até certo ponto justa justificativa dos desfalques não convenceu a diretoria. Os dirigentes corintianos entenderam que a questão é maior e deram início a uma reformulação que começou pelo próprio técnico.

O Corinthians melhorou com a volta de Renato Augusto, mas não chegou a convencer (Foto: Daniel Augusto Jr./Divulgação/Agência Corinthians)

O gaúcho vai se despedir do Corinthians daqui a duas semanas, satisfeito com as históricas conquistas dos últimos dois anos e lamentando o mau segundo semestre deste ano. “Quando tivemos todos os nossos construtores, tivemos aproveitamento para estar entre os três primeiros. Como falei, agora mesmo, tivemos três vitórias e três empates. Se tivéssemos esse aproveitamento desde o início...”