Banner gripe

Presidente corinthiano tenta amenizar pressão sobre vencer o Mundial

Segundo Mario Gobbi, ganhar ou perder não vai apagar o ano maravilhoso do Corinthians.

Comentar
Compartilhar
06 NOV 201212h39

O presidente do Corinthians, Mário Gobbi, afirmou nesta segunda-feira (05), que o Corinthians está preparado para disputar o Mundial de Clubes, em dezembro, no Japão. Mas ele também destacou que o clube não fará do título uma obsessão, como aconteceu com a trajetória corintiana na Libertadores durante muitos anos. 

"Ganhar ou perder não vai, em hipótese alguma, tirar o ano maravilhoso que o Corinthians teve, único em sua história. E não vai torná-lo maior nem menor", disse Gobbi, em entrevista ontem, no anfiteatro do Parque São Jorge. "O Corinthians é um gigante, não há o que mexer na sua grandiosidade."
 
Em seu primeiro ano no cargo, Gobbi adota agora no Mundial um discurso muito semelhante ao que antecedeu a disputa da Libertadores no começo desta temporada. Na ocasião, ele tentou tirar das costas do elenco a pressão que existia no clube por nunca ter ganho a competição continental. Agora, porém, o Corinthians já tem um título mundial no currículo - venceu em 2000.
 
Time
 
O Corinthians poderá ter o reforço de Danilo para o confronto contra o Coritiba, sábado, no Pacaembu, pela 35ª rodada do Brasileirão. O meia foi liberado pelo departamento médico e vai ficar à disposição do técnico Tite. 
 
Titular absoluto, Danilo não atua desde o dia 17 de outubro, na derrota para o Cruzeiro por 2 a 0 em Varginha (MG). Ele sofreu um corte no pé direito e desfalcou o time em três rodadas. 
 
Mario Gobbi está no seu primeiro ano de mandato como presidente do Corinthians (Foto: Sérgio Neves-Agência Estado-AE)
 
O zagueiro Wallace, que também estava machucado (estiramento muscular), também foi liberado pelo departamento médico e pode ficar à disposição de Tite para sábado. Reserva do time, ele ficaria no banco contra o Coritiba.
 
Já o atacante Emerson fez um trabalho físico com o preparador Fábio Mahseredjian ontem, mas deve ficar de fora por mais uma partida. Ele machucou o joelho direito contra a Portuguesa, no de 13 de outubro. E a tendência é que retorne ao time nas últimas três rodadas do Brasileirão, contra Internacional, Santos e São Paulo.

Colunas

Contraponto