Preparador físico valoriza semana livre do Santos antes de clássico

Na opinião do profissional da comissão técnica do Peixe, os dias de preparação serão fundamentais para que alguns pontos sejam trabalhados junto aos jogadores

Comentar
Compartilhar
21 OUT 201313h37

Após golear o Náutico, por 5 a 1, no último sábado, na Arena Pernambuco, o Santos terá uma semana livre para treinamentos, visando a partida contra o Corinthians, no próximo domingo, a partir das 16 horas (horário de Brasília), na Arena Fonte Luminosa, em Araraquara (SP). O período maior de treinos para o clássico foi valorizado pelo preparador físico da equipe praiana, Ricardo Rosa.

Na opinião do profissional da comissão técnica do Peixe, os dias de preparação serão fundamentais para que alguns pontos sejam trabalhados junto aos jogadores, no decorrer da semana.

“Realmente, o Santos vinha de uma sequência muito dura de jogos, praticamente dois meses atuando no meio e fim de semana. Agora, voltamos a ter uma semana de preparação. Por isso, nós demos alguns dias de descanso para os atletas, para que eles se recuperem tanto física quanto mentalmente desta ‘maratona’.

Retornamos aos treinos na terça-feira à tarde (no CT Rei Pelé) e vamos dar uma atenção maior à preparação física, no começo da semana”, disse Rosa, em entrevista à Rádio Capital/ESPN.

Ricardo Rosa disse que os dias livres serão fundamentais para o trabalho de alguns pontos junto aos jogadores (Foto: Divulgação/SantosFC)

O preparador físico santista lembrou que o período de jogos seguidos desgastou o elenco e que, por esta razão, será necessária uma atenção maior ao condicionamento dos atletas, visando à reta final do Brasileirão.

“Antes, não tínhamos como fazer algum tipo de trabalho, nesse sentido. Para quem vem jogando, vamos corrigir algumas deficiências, visando a sequência do campeonato. Mas, também, queremos dar ritmo para quem está no banco e não vem sendo relacionado”, completou Ricardo Rosa.

Vale lembrar que o Santos está na oitava posição no Brasileiro, com 43 pontos ganhos, sete pontos a menos em relação ao Botafogo, último integrante do G-4 da Série A, que garante vaga na próxima edição da Copa Libertadores da América.