Por quebra de tabus, Tricolor e Verdão fazem Choque-Rei no Morumbi

O clássico, no entanto, não é especial somente pela presença dos dois tabus. Haverá em campo personagens que se identificam com os respectivos clubes

Comentar
Compartilhar
29 MAI 2016Por Gazeta Press13h00
O Estádio do Morumbi será o palco do Choque-Rei deste domingo, pelo BrasileiroO Estádio do Morumbi será o palco do Choque-Rei deste domingo, pelo BrasileiroFoto: Sergio Barzaghi/Gazeta Press

A quebra de tabus estará em jogo no Choque-Rei deste domingo, às 16 horas (de Brasília), no Estádio do Morumbi. Válido pela quarta rodada do Campeonato Brasileiro, o confronto reúne duas equipes que visam encerrar capítulos negativos em suas histórias. O São Paulo não vence um clássico estadual desde o dia 3 de junho do ano passado, quando bateu o Santos, por 3 a 2, em seus domínios, em jogo pela edição passada do torneio nacional. O Palmeiras, por sua vez, amarga um jejum bem mais duradouro: há 14 anos o time de Palestra Itália não triunfa sobre o Tricolor dentro da casa são-paulina, acumulando 13 derrotas e nove empates. A última vez que conquistou o feito foi no Rio-São Paulo de 2002, em duelo marcado pelo gol de placa do ex-jogador Alex, que deu dois “chapéus”, incluindo um em Rogério Ceni, antes de estufar as redes no triunfo alviverde por 4 a 2.

O clássico, no entanto, não é especial somente pela presença dos dois tabus. Haverá em campo personagens que se identificam com os respectivos clubes e que farão de tudo pela vitória. Um deles é Maicon. O zagueiro tricolor, que caiu nas graças da torcida por sua garra demonstrada principalmente nos jogos da Copa Libertadores da América, quer colocar um ponto final e vencer pela primeira vez um rival paulista com a camisa do São Paulo.

“A gente está se preparando para ganhar o clássico no domingo. Com certeza a gente teve alguns clássicos que o time não se apresentou bem, mas vamos mudar isso. A lição dos últimos dois jogos é que quem não faz toma. Fomos melhores que Internacional e Coritiba, mas falhamos nas finalizações. Os adversários souberam aproveitar”, avaliou o xerife da zaga são-paulina, após o empate com o Coritiba, na última quarta-feira.

Já o técnico Edgardo Bauza está confiante às vésperas do embate, amparado nas recentes atuações de seu time, principalmente na Libertadores. “A equipe demonstrou no último mês um crescimento futebolístico importante. A torcida não vem reclamando e isso não vamos perder. Não posso garantir nada para domingo, mas asseguro que a equipe vai se matar em campo para ganhar o jogo”, avisou o argentino, que poderá ter até três desfalques importantes para o Choque-Rei.

É certo que o Patón não terá à disposição o meia Michel Bastos, com problemas na coxa direita, e o volante Hudson, que sentiu o adutor da coxa esquerda após a partida contra o Internacional, no último domingo. Mas a principal preocupação do comandante é o compatriota Jonathan Calleri. Apesar de ter sido relacionado para a partida, o atacante deve ser banco por ainda estar em fase de recuperação de dores na coxa esquerda, também sentidas no duelo com o Colorado. Após ficar de fora do empate no meio de semana, treinou na quinta, sexta e sábado, mas trabalhando apenas a parte física.

Dessa forma,Wesley fará a dupla de volantes com Thiago Mendes. Na frente, Kelvin, Paulo Henrique Ganso e Centurión buscarão a referência na área, que provavelmente será Alan Kardec. Poupado no meio de semana a exemplo do camisa 10, Diego Lugano tem presença confirmada. Com quatro pontos somados em três rodadas, o Tricolor Paulista ocupa o décimo lugar no Brasileirão.

No lado alviverde do clássico, o clima é de confiança após mais uma boa vitória em casa, na última quarta-feira, contra o Fluminense, e a manutenção da quarta colocação no campeonato, com seis pontos. Autor de um dos gols do triunfo palmeirense sobre o Tricolor Carioca, o zagueiro Vitor Hugo destacou a importância de um clássico para aumentar ainda mais a moral do time.

“(Jogar contra o São Paulo) vale muito principalmente por ser clássico. Na teoria, vale três pontos, mas clássico tem gosto especial. Tem valor maior. Temos de entrar na mesma pegada. Não podemos dar mole, não”, comentou o camisa 4.

Como de costume antes de jogos importantes, o técnico Cuca fez mistério e não revelou a escalação que mandará a campo contra o São Paulo. Egídio e Cleiton Xavier, que eram dúvida após sentirem dores musculares no jogo contra o Fluminense, não treinaram nesta sexta-feira, e o técnico praticamente descartou tê-los em campo.

Além da dupla, Cuca também terá as ausências de Arouca e Cristaldo, que têm problemas no joelho e não foram relacionados. Eles se juntam aos lesionados Edu Dracena, Gabriel e Lucas Barrios na lista de desfalques do Verdão. O volante Matheus Sales, que era dúvida, treinou neste sábado e deve começar como titular.

Com as ausências, Cuca pode promover a estreia de Fabrício, recém-chegado do Cruzeiro, na lateral esquerda. Já a armação, que era de Cleiton Xavier, deve ficar por conta de Dudu, com Alecsandro escalado como homem de referência. Outra opção que o treinador alviverde pode escalar é Moisés como armador, com Dudu, Róger Guedes e Gabriel Jesus mais à frente.