Por causa da Copa, Santos fica sem a Vila Belmiro por dois meses

A partir do próximo dia 16, o estádio será cedido à Fifa para a preparação da seleção da Costa Rica

Comentar
Compartilhar
06 MAI 201420h07

O Santos ainda não teve a aprovação da CBF, mas pediu e deve mandar os jogos contra o Flamengo no Morumbi e contra o Criciúma no estádio 1.º de Maio, em São Bernardo do Campo (SP), respectivamente pelas sétima e nona rodadas, nos dias 25 deste mês e 1.º de junho. Na hora em que mais precisa do estádio da Vila Belmiro como aliado para reagir no Campeonato Brasileiro, o time vai ficar longe de casa por mais de dois meses.

Dos seis jogos restantes antes da paralisação do Brasileirão durante a Copa do Mundo, o Santos será mandante em três e já está confirmado que no primeiro deles, na quinta rodada, no próximo dia 18, vai receber o Atlético Mineiro na Arena Pantanal, em Cuiabá.

Se ganhar do Princesa do Solimões com dois ou mais gols de diferença, nesta quinta-feira, na Arena Amazônia, em Manaus, o Santos elimina o jogo de volta, marcado para o dia 15, na Vila Belmiro, e só voltará a jogar em seu estádio no dia 16 de julho, uma quarta, contra o Palmeiras.

A partir do próximo dia 16, o estádio será cedido à Fifa para a preparação da seleção da Costa Rica. O complexo Modesto Roma, que reúne o CT Rei Pelé, o hotel Recanto dos Alvinegros e o Cepraf (centro de recuperação de atletas), será utilizado pelo México.

Depois de três empates, apenas um gol marcado e fracas atuações no Brasileirão, as possibilidades de recuperação seriam maiores na Vila Belmiro. Embora não tenham criticado abertamente a direção, o técnico Oswaldo de Oliveira e os principais líderes do time não engoliram a decisão do Comitê de Gestão de abrir mão de mandar o segundo jogo das finais do Campeonato Paulista na Vila, onde somava 10 vitórias nos 10 jogos disputados.

Oswaldo de Oliveira exigiu o máximo empenho dos jogadores para que o time terminasse em primeiro lugar a fase de classificação por fazer questão de disputar o segundo jogo da decisão na Vila Belmiro. Além do retrospecto amplamente favorável, o gramado, um dos melhores do Brasil, favoreceria o futebol de bola no chão e de movimentação que o time vinha jogando. E o adversário se sente pressionado em razão de a torcida ficar mais perto do campo.

A partir do próximo dia 16, o estádio será cedido à Fifa (Foto: Divulgação/Santos FC)

Time pronto

Oswaldo de Oliveira indicou nesta terça a escalação do Santos para o jogo contra o Princesa de Solimões, pela segunda fase da Copa do Brasil, sem cinco jogadores que vinham sendo titulares, mas com a manutenção do centroavante Leandro Damião na equipe, mesmo com o seu jejum de 5 partidas sem fazer um gol.

O lateral-direito Cicinho, o zagueiro David Braz, o volante Arouca, o meia Cícero e o atacante Thiago Ribeiro deixaram o time titular e tiveram, no coletivo realizado no CT Rei Pelé, suas vagas no time titular ocupadas por Bruno Peres, Bruno Uvini, Alison, Lucas Lima e Geuvânio.

Com isso, o Santos deve entrar em campo para enfrentar o Princesa de Solimões com a seguinte escalação: Aranha; Bruno Peres, Bruno Uvini, Jubal e Émerson Palmieri; Alison, Alan Santos e Lucas Lima; Geuvânio, Leandro Damião e Gabriel.

O coletivo foi vencido pelos titulares por 4 a 1, com boa atuação do meia Lucas Lima, autor do quarto gol da sua equipe e que deu passe para um dos dois marcados por Gabriel. Leandro Damião também fez o seu gol, o primeiro dos titulares na atividade. Já o atacante Diego Cardoso diminuiu para os suplentes.