Pirlo volta atrás e admite continuar jogando na seleção da Itália

"Como já disse, por agora a minha decisão é me aposentar da seleção. Mas se o novo treinador achar que precisa de mim e me convocar, continuarei felizmente à disposição", revelou o craque

Comentar
Compartilhar
26 JUN 201414h11

 Depois de ter anunciado que iria se aposentar da seleção da Itália ao final desta sua participação na Copa do Mundo de 2014, o meia Pirlo parece ter voltado atrás em sua decisão. Nesta quinta-feira, o veterano jogador de 35 anos de idade admitiu que poderá defender o time nacional caso haja interesse no seu futebol por parte do técnico a ser escolhido para o lugar de Cesare Prandelli, que pediu demissão logo após a derrota por 1 a 0 para o Uruguai, na última terça, quando os italianos foram eliminados do Mundial.

"Como já disse, por agora a minha decisão é me aposentar da seleção. Mas se o novo treinador achar que precisa de mim e me convocar, continuarei felizmente à disposição", revelou o craque da Juventus.

Pirlo acumula 13 gols marcados em 112 partidas pela seleção italiana, pela qual estreou em 2002, quatro anos antes de ajudar o seu país a se sagrar tetracampeão mundial na Copa de 2006, na Alemanha.

A Itália acabou eliminada deste Mundial realizado no Brasil depois de ter estreado com vitória sobre a Inglaterra e amargado derrotas para Costa Rica e Uruguai, fato que deixou a seleção na terceira posição do Grupo D da competição.

Pirlo acumula 13 gols marcados em 112 partidas pela seleção italiana, pela qual estreou em 2002 (Foto: Facebook/Fifa World Cup)

Buffon

A seleção italiana desembarcou em Milão na manhã desta quinta. De forma discreta, a delegação nacional passou rapidamente pelo Aeroporto Internacional de Malpensa, onde um pequeno grupo de torcedores e muitos jornalistas aguardavam pelos jogadores.

Um dos poucos a conversar com a imprensa no desembarque da seleção, o goleiro Buffon evitou falar sobre as críticas ao atacante Mario Balotelli, que decepcionou no Mundial. Ele se limitou a dizer que a Itália "deixou uma má impressão" no Brasil

Um avião fretado ainda levaria uma parte da delegação para Roma, sendo que em Milão Balotelli se esquivou da imprensa, deixou o aeroporto ao lado da noiva, Fanny Neguesha, e entrou com pressa em uma van que o esperava no local.

A Itália foi eliminada de forma precoce do Mundial e repetiu o fracasso da Copa de 2010, na África do Sul, onde também deu adeus à competição na primeira fase.