Peres coloca condição para Ricardo Oliveira renovar e faz suspense sobre técnico

O novo presidente santista deixou claro que o centroavante terá que ceder ao pedido de dois anos de contrato caso queira estender vínculo com o clube paulista

Comentar
Compartilhar
19 DEZ 2017Por Folhapress14h31
O novo presidente adiantou que só renovará com o centroavante somente se ele aceitar acordo até dezembro de 2018Foto: Pedro Ernesto Guerra Azevedo/Santos FC

José Carlos Peres, que tomou posse simbólica do cargo de presidente do Santos nesta segunda-feira (18), na Vila Belmiro, colocou uma condição para Ricardo Oliveira permanecer. Peres deixou claro que o centroavante terá que ceder ao pedido de dois anos de contrato caso queira estender vínculo com o clube paulista.

Peres alega que, devido a idade do jogador (37 anos), dois anos de contrato seriam prejudiciais ao Santos.

O novo presidente adiantou que só renovará com o centroavante somente se ele aceitar acordo até dezembro de 2018.

"Ricardo Oliveira será analisado pelo novo diretor e técnico. Há um obstáculo que ele quer dois anos. Mas não dá pra fazer contrato de dois anos, pois seria prejuízo para o clube. Se ele topar um ano ele fica", afirmou José Carlos Peres.

O mandatário santista está com negociações adiantadas para anunciar o novo diretor executivo de futebol e o novo treinador, mas faz suspense em relação aos nomes. No entanto, o UOL Esporte apurou que Gustavo Vieira, sobrinho de Raí, é o mais cotado para o cargo. Já para a função de técnico, Peres negocia com Jair Ventura, do Botafogo.

"Não falo em nomes. Não está assinado. Não diria em horas, pode ser dias e semanas [contratação de diretor e técnico]. Não converso só com eles [Gustavo e Jair Ventura], mas com outros também", disse Peres.

"O perfil de técnico que queremos é vencedor, todos dizem isso né. Perfil jovem, sem vícios e que sabe escolher um time", completou.

Jair Ventura pediu cerca de R$ 400 mil mensais. No entanto, o valor é uma espécie de "pacote" do treinador, pois já inclui o auxiliar-técnico, Emílio Faro, e o preparador físico, Ednilson Sena, profissionais de confiança do treinador do Botafogo.

Além do valor salarial, o Santos deve desembolsar R$ 860 mil ao Botafogo para pagar a multa rescisória de Jair Ventura, que tem contrato com o clube carioca até dezembro de 2018.

No caso do diretor executivo, a cúpula santista conversou com Adalberto Batista, ex-dirigente do São Paulo antes de encaminhar o acordo com Gustavo e gostou do que ouviu. Se fechar contrato, o novo profissional santista ganhará bem menos do que recebia no São Paulo e também do que ganhava mensalmente o ex-profissional do Santos nesta função.

Enquanto Dagoberto Santos, superintendente de futebol do ex-presidente Modesto Roma, embolsava cerca de R$ 140 mil por mês, Gustavo Vieira receberá menos da metade: cerca de R$ 50 mil mensais.