Palmeiras volta a falhar nos pênaltis e perde Recopa para Defensa y Justicia

Os comandados de Abel Ferreira haviam triunfado no jogo de ida, na Argentina, por 2 a 1. Entraram em vantagem na tentativa de levantar o troféu e saíram na frente, mas levaram a virada nos acréscimos

Comentar
Compartilhar
15 ABR 2021Por Folhapress00h34
A equipe alviverde foi derrotada por 2 a 1 pelo Defensa y Justicia.A equipe alviverde foi derrotada por 2 a 1 pelo Defensa y Justicia.Foto: DIVULGAÇÃO/CONMEBOL

Superado pelo Flamengo nos pênaltis na Supercopa do Brasil, o Palmeiras voltou a falhar nos tiros da marca penal. A equipe alviverde foi derrotada por 2 a 1 pelo Defensa y Justicia, na noite de quarta-feira (14), em Brasília, e perdeu o título da Recopa Sul-Americana no desempate: 4 a 3.

Os comandados de Abel Ferreira haviam triunfado no jogo de ida, na Argentina, por 2 a 1. Entraram em vantagem na tentativa de levantar o troféu e saíram na frente, mas levaram a virada nos acréscimos, perderam um pênalti na prorrogação e fracassaram nas batidas decisivas.

Luiz Adriano e Weverton desperdiçaram suas cobranças. Assim, o time paulista repetiu o resultado que havia obtido em fevereiro, contra o Al Ahly, na disputa de pênaltis pelo terceiro lugar do Mundial, e no último domingo (11), no duelo com o Flamengo pela Supercopa.

Na Recopa, o confronto entre os vencedores das competições continentais da América do Sul, o campeão da Copa Libertadores encontrou dificuldades diante do dono da Copa Sul-Americana. Os comandados de Sebastián Beccacece mostraram ótima capacidade de trocar passes.

Na partida que definiu o título - marcada para Brasília em um momento no qual estavam proibidos eventos esportivos em São Paulo -, a formação alviverde repetiu sua estratégia de velocidade. E abriu o placar em uma jogada de agilidade, que resultou em pênalti.

Raphael Veiga fez a cobrança, aos 23 minutos do primeiro tempo, e abriu o placar. Mas o Defensa y Justicia procurou não se abalar e manteve seu toque de bola, explorando sobretudo as costas do lateral esquerdo Viña. Foi por ali, aos 30, que chegou ao empate.

Na etapa final, o Palmeiras se viu em situação difícil com a expulsão de Viña, aos 23, por agressão em Frías. Conseguiu se proteger até os 48 minutos, quando Weverton não segurou um chute de fora da área de Benítez.

 

Mesmo com um a menos, o time verde obteve um pênalti, seguido de confusão e expulsão do atacante Romero, do Defensa, no primeiro tempo extra. Gómez, porém, falhou na cobrança, parando no goleiro Unsain.

O placar não foi movimentado até o apito final da segunda etapa da prorrogação. A decisão ficou mesmo para o desempate, definido em chute por cima de Weverton.

FICHA TÉCNICA
PALMEIRAS 1 (3) x (4) 2 DEFENSA Y JUSTICIA

PALMEIRAS - Weverton; Marcos Rocha (Luiz Adriano), Gustavo Gómez, Luan e Viña; Danilo, Patrick de Paula (Felipe Melo) e Raphael Veiga (Gabriel Menino); Wesley (Gabriel Veron, Empereur), Breno Lopes (Mayke) e Rony. T.: Abel Ferreira

DEFENSA Y JUSTICIA - Ezequiel Unsain; Matias Rodríguez (Britez), Adonis Frias, Fernando Meza, Marcelo Benitez (Breitenbruch); Raúl Loaiza (Hachen), Enzo Fernandez, Francisco Pizzini (Merentiel) e Rotondi (Isnaldo); Walter Bou (Escalante) e Braian Romero. T.: Sebastián Beccacece

Estádio: Mané Garrincha, em Brasília (DF)
Árbitro: Leodán Gonzalez (URU)
VAR: Julio Bascuñán (CHI)
Cartões amarelos: Wesley, Marcos Rocha e Patrick de Paula (PAL); Sebastián Beccacece, Benitez, Frias e Loaiza (DYJ)
Vermelhos: Viña, Cícero Souza (gerente de futebol), Vitor Castanheira (auxiliar) e Magoo (preparador físico) (PAL); Braian Romero (DYJ)
Gols: Raphael Veiga (PAL), aos 23', e Braian Romero, aos 30'/1ºT; Benítez (DYJ), aos 48'/2ºT