Pacaembu sob gestão do Santos seria "solução interessante", diz Prefeitura

Palco de grandes conquistas dos clubes paulistas, o estádio deve ter gestão conjunta entre poder público e iniciativa privada a partir de 2016

Comentar
Compartilhar
25 FEV 201513h46

A inauguração das arenas de Corinthians e Palmeiras fez do Pacaembu algo como ultrapassado na cidade de São Paulo. Palco de grandes conquistas dos clubes paulistas, o estádio deve ter gestão conjunta entre poder público e iniciativa privada a partir de 2016. A novidade é que o Santos poderia ser o novo ‘dono’ da praça esportiva, em acordo visto com bons olhos pela Prefeitura Municipal.

“Estamos em busca de uma solução junto à sociedade, que vai se manifestar. Existem interessados. Não vou citar, mas um clube ou outro está de olho, visto que Corinthians, Palmeiras e São Paulo já têm seus estádios”, destaca o prefeito Fernando Haddad à rádio Bandeirantes, admitindo o interesse do Peixe como um caminho viável para a gestão do estádio.

“Para nós seria interessante essa solução. Não sei se posso adiantar esse tipo de situação, tem a Portuguesa também”, brinca Haddad, não querendo definir literalmente o Santos como interessado. O prefeito acredita que uma parceria com empresas particulares é a saída para a modernização do Pacaembu.

Após servir de casa para Corinthians e Palmeiras, Pacaembu pode ser o novo endereço do Santos na capital (Foto: Divulgação)

“Haverá interesse no chamamento publico que fizemos. Estamos querendo revitalizar o espaço, também em parceira com a associação de moradores. Entendemos que aquele equipamento vai se degradar se não houver uma adequação de seu uso”, finaliza.

A intenção da prefeitura é fazer a concessão do estádio por um período específico. O primeiro passo para que isto aconteça já foi dado, visto que está em curso o chamamento público para que interessados se manifestem. Na sequência o poder público analisa as candidaturas e faz a requisição dos projetos de cada uma das empresas que buscam a parceria. Escolhido o projeto, o investimento e o tempo de concessão será definido na assinatura do contrato.