Oswaldo rechaça empolgação e diz que caminho do Santos é “muito longo"

Feliz pelas goleadas por 5 a 1 contra Corinthians e Botafogo, o técnico prefere manter a sobriedade e descarta um entusiasmo excessivo na Vila Belmiro

Comentar
Compartilhar
02 FEV 201413h17

Os dez gols marcados em um intervalo de três dias empolgaram os torcedores do Santos. Feliz pelas goleadas por 5 a 1 contra Corinthians e Botafogo-SP, o técnico Oswaldo de Oliveira prefere manter a sobriedade e descarta um entusiasmo excessivo na Vila Belmiro.

“Para ter sentido, tudo na vida precisa de início, meio e fim. E nós estamos apenas iniciando. É um início promissor? É, sem sombra de dúvidas. Fazer dez gols em menos de 72 horas contra um campeão mundial (Corinthians) e uma equipe que está se preparando há três meses (Botafogo-SP) é muito difícil. Mas temos um caminho muito longo, que passa por cima de qualquer empolgação”, afirmou Oswaldo na entrevista coletiva após o jogo deste sábado, contra a equipe de Ribeirão Preto.

O meia-atacante Geuvânio, que deu três assistência e sofreu o pênalti desperdiçado por Cícero, foi eleito por Oswaldo o destaque da goleada diante do Botafogo-SP.

Esta é a segunda passagem de Oswaldo pelo Santos: em 2005, o treinador foi demitido após três meses (Foto: Divulgação/Santos FC)

“Não há protagonismo definido. Eles (jogadores) estão se alternando bem. O Arouca fez uma partida irrepreensível (contra o Corinthians), e hoje (sábado) o destaque foi o Geuvânio. Não quero apontar nenhum jogador, mas é claro que eventualmente um se sobressai, e não posso tentar iludir ninguém, dizendo que não houve um destaque. Todos terão oportunidade de ser o ‘solista’ em algum momento”, disse.

Sobre a montagem do time sem Montillo, que se despediu do elenco santista na última sexta-feira e partiu para a China, onde defenderá o Shandong Luneng, o treinador santista revelou que seu novo armador já figura há muito entre os titulares.

“O Cícero não é o camisa 10 porque ele não quer. Após a saída do Montillo, eu disse que poderiam dar a faixa de capitão e a camisa 10 a ele, que preferiu permanecer com a 8. Hoje, ele é o principal articulador do time. Com características diferentes das do Montillo, eu projeto essa função para ele. Temos também o Serginho, que foi muito bem na Copinha, e o menino Lucas Lima, que chegou e está sendo preparado para essa função”, declarou.