Oswaldo faz mistério e só confirma Fernando Prass no time do Palmeiras

O treinador chega em sua quarta final de estadual consecutiva. Em 2012 e 2013 ele foi à decisão do Carioca pelo Botafogo, e no ano passado foi finalista pelo Santos

Comentar
Compartilhar
24 ABR 201514h08

O mistério impera antes da decisão do Campeonato Paulista entre Palmeiras e Santos, domingo, às 16 horas, no Allianz Parque. Enquanto no Santos o técnico Marcelo Fernandes comandou só treinamentos sem a presença da imprensa, Oswaldo de Oliveira resolveu fechar a atividade desta sexta-feira e não quis dar pistas sobre qual formação levará a campo neste final de semana. Esbanjando bom humor, garantiu apenas o goleiro Fernando Prass entre os titulares.

"Nada (ao ser questionado sobre o que poderia falar do time). Ou quase nada. Fernando Prass começa o jogo. Não vejo como mistério. Isso é uma coisa normal. Se você revela o que vai fazer, o adversário se prepara. Hoje temos um arsenal que sai para trabalhar e trazer informações. Quando a gente trabalhar no Bayern ou no Barcelona, você não quer nem saber do adversário, mas o equilíbrio de forças que o Paulista tem demonstrado, faz com que seja natural e compreensível que Santos e Palmeiras se resguardem", disse o treinador.

Oswaldo chega em sua quarta final de estadual consecutiva. Em 2012 e 2013 ele foi à decisão do Campeonato Carioca pelo Botafogo, e no ano passado foi finalista do Paulistão pelo Santos. "Fui vice em 2012, campeão em 2013 e vice em 2014. Espero ser campeão novamente este ano", comentou.

Na quinta-feira, ele comandou um treinamento tático no qual deu indícios de que deve levar a campo o time com novidades. Gabriel foi testado na lateral direita e Cleiton Xavier apareceu entre os titulares, assim como Gabriel Jesus e a dupla de zaga foi mantida com Victor Ramos e Jackson, embora Vitor Hugo e Tobio estejam à disposição. O primeiro deles volta de suspensão e o segundo se recuperou de dores musculares.

Oswaldo de Oliveira só confirmou Fernando Prass no time do Palmeiras (Foto: Agência Palmeiras)

Dois jogadores que mereceram destaques especiais foram Gabriel e Cleiton Xavier. "Gabriel já tinha essa experiência comigo no Botafogo. Até brinquei com ele que o Gabriel teve de jogar o segundo tempo na lateral. Quando eu o conheci, sabia que ele era volante, mas veio para completar um treino. Iríamos fazer um jogo-treino contra o Boavista, então ele disse para mim que era volante, mas podia jogar de lateral tranquilamente. Ele viu que não teria vaga no meio e achou melhor jogar improvisado do que sair. Ele jogou bem e acabou conquistando a minha simpatia", recordou.

Já Cleiton Xavier chama a atenção pela versatilidade. "O Cleiton é versátil. Ele pode jogar no meio, atrás e é um jogador que ajuda bastante a equipe", completou o comandante palmeirense. A tendência é a de que o Palmeiras para domingo vá a campo com Fernando Prass; Gabriel, Victor Ramos, Jackson e Zé Roberto; Arouca, Robinho, Rafael Marques, Dudu e Cleiton Xavier; Gabriel Jesus.