Nervosismo vira preocupação de Ney Franco para a final

Técnico tricolor não gostou da postura da equipe do São Paulo no empate sem gols com a Universidad Católica pela Copa Sul-Americana

Comentar
Compartilhar
29 NOV 201217h53

Ainda que Ney Franco não saiba qual time enfrentará na decisão da Copa Sul-Americana, Tigre ou Millionarios, já detectou um inimigo oculto a ser combatido na série derradeira: o nervosismo. O treinador tricolor não gostou da postura dos jogadores do São Paulo contra a Universidad Católica; que por muitas vezes deixou de jogar para reclamar do árbitro Jorge Urrego.

Logo nos primeiros minutos do jogo da noite da última quarta-feira (29), quando o São Paulo garantiu vaga na decisão ao empatar por 0 a 0, no Morumbi, Denilson levou cartão amarelo ao peitar Peralta por entrada desleal em Wellington. O camisa 5 foi advertido pouco tempo depois ao dar uma tesoura em um adversário. O ímpeto foi contido pelo técnico no intervalo, mas o sinal de alerta ficou ligado.

"Principalmente no primeiro tempo perdemos um pouco o equilíbrio por causa da força da marcação e por alguns erros de arbitragem. Sabíamos que precisávamos compensar isso. Criamos as chances, mas mais uma vez o goleiro deles fez a diferença. Mas o importante é que passamos e mais uma vez soubemos levar a vantagem do regulamento", explicou o treinador.

Jogadores comemoram a classificação para a final da Copa Sul-Americana (Foto: Divulgação)

Colunas

Contraponto