X
Esportes

'Não seria louco de tomar o chá', diz Guerrero sobre suspensão

Flagrado no exame antidoping com benzoilecgonina, principal metabólito da cocaína, o peruano disse que jamais tomaria o chá de coca por decisão própria

Guerrero não engoliu a suspensão de um ano imposta pela Fifa / Divulgação/CRF

Guerrero não engoliu a suspensão de um ano imposta pela Fifa. Flagrado no exame antidoping com benzoilecgonina, principal metabólito da cocaína, o peruano disse que jamais tomaria o chá de coca por decisão própria.

"Nunca na minha vida. Tenho 17 anos de carreira profissional e sou inocente. Não vou ser louco de tomar o chá, algo que pode me prejudicar", disse o atacante do Flamengo em entrevista ao Fantástico na noite deste domingo (10).

"Eu estou muito indignado. Me custa acreditar nessas coisas e na injustiça que estou passando", acrescentou, antes de dizer que tem certeza de que será absolvido. "Com certeza, como não? Não fiz nada, sou inocente."

É importante ressaltar que os advogados de Guerrero, Marcos Motta e Bichara Neto, já haviam afirmado que o metabólito da cocaína encontrado na urina do atleta é resultado da ingestão do chá de coca.

O peruano, no entanto, disse acreditar que tomou um chá diferente; segundo ele, a jarra poderia estar contaminada com resquícios de um chá de coca servido a um hóspede anterior do hotel onde estava hospedado.

"No Peru, é muito comum o chá de coca. Já tinha uma jarra lá. A jarra no hotel não foi lavada e me serviram outro chá nela. Dá para contaminar", comentou. "Na Argentina tomei um chá preto com limão e mel porque estava com gripe, e no Peru tomei um para indigestão", disse.

Deixe a sua opinião

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Brasil

PF indicia empresa grega, dona de navio, por espalhar óleo pelo Litoral

Manchas surgiram em agosto de 2019 nas praias do Nordeste e se espalharam pelas demais regiões nos meses seguintes

Educação

Prazo para solicitar reaplicação do Enem termina nesta sexta-feira (3)

Candidato tem até as 23h59 para fazer pedido na Página do Participante

©2021 Diário do Litoral. Todos os Direitos Reservados.

Software